fb-embed

Carreira

4 min de leitura

Critérios de carreira: como a clareza de valores melhora a trajetória profissional

Descrevemos sete critérios fundamentais e três insights para que você possa guiar, de maneira flexível, a sua vida profissional e a construção de uma carreira

Colunista Davi Lago e Augusto Jr

Davi Lago e Augusto Jr

18 de Março

Compartilhar:
Artigo Critérios de carreira: como a clareza de valores melhora a trajetória profissional

As decisões na carreira profissional não podem ser aleatórias, emotivas e irresponsáveis, sobretudo nesses dias pandêmicos com precarização do trabalho, falências e grande instabilidade do mercado. Como tomar decisões prudentes nessas condições? Mudar ou não de empresa? Iniciar ou não uma nova carreira? Aceitar ou não o convite para trabalhar em outra área na corporação?

Na literatura corporativa há um campo de pesquisa focado em compreender este tema: critérios de carreira, também conhecido como drivers de carreira. O objetivo deste artigo é esclarecer quais são os critérios tangíveis e intangíveis da carreira profissional.

Em primeiro lugar, é necessário compreender que as pessoas trabalham baseadas em valores, objetivos e necessidades. O filósofo social Roman Krznaric que um trabalho significativo que considera os motivadores extrínsecos (ganhar dinheiro e vida boa; alcançar status) e os motivadores intrínsecos (fazer a diferença; seguir nossas paixões; usar nossos talentos).

O consultor Richard Barrett, por sua vez, afirma que os valores do trabalho vão da sobrevivência ao serviço em si, passando pelo interesse próprio, pela vontade de transformações e a motivação pelo bem comum. Baseados nessas linhas mestras, e em mais de uma década ajudando jovens em suas carreiras através de aconselhamentos, mentorias, palestras, livros e workshops, nós, Augusto Júnior e Davi Lago, procuramos identificar quais são os principais critérios para escolhas/decisões na vida profissional.

Nesse sentido, apontamos aqui pelo menos sete critérios fundamentais. Nossa sugestão é que cada leitor possa analisar cuidadosamente quais destes critérios se ajustam à sua vida, quais você acrescentaria e em qual ordem de prioridades:

Dignidade e prestígio – Todas as pessoas querem um trabalho digno. Em sociedades desenvolvidas, além da dignidade, os trabalhadores anseiam por prestígio e reconhecimento por suas realizações. Os romanos antigos já diziam que as pessoas zelam por suas reputações e buscam melhorar o seu status.

Recursos – Receber uma remuneração adequada pelo trabalho é outro fator essencial. Os antigos diziam: “digno é o trabalhador do seu salário”. Trabalhar sem precisar de contrapartida remunerada é um privilégio para pequena parcela da população. É através dos recursos que os trabalhadores podem suprir suas necessidades básicas e proporcionar conforto para si mesmos e àqueles a quem amam.

Benefícios e comodidade – Outro critério é o conjunto de benefícios e comodidades que a decisão profissional acarretará. Por exemplo, fatores como: morar perto de onde trabalha; conseguir sair mais cedo para um hobbie ou atividade; ter um plano de saúde que envolva toda a família; receber descontos em cursos de pós-graduação.

Significado – Como o propósito da empresa se conecta ao seu propósito de vida? Qual a percepção de diferença que você faz no mundo? Qual transformação você gera? Ter a consciência que trabalha por algo maior do que você mesmo é fundamental para se escolher trabalhar em um lugar. Como diz Mário Sérgio Cortella, “emprego é fonte de renda, trabalho é fonte de vida, e todos queremos ter uma fonte de vida”. Ou seja, seres humanos demandam da atividade profissional algo maior que o mero mecanicismo “ação-recompensa”.

Escalada – É o critério que leva em conta a proporção de desenvolvimento profissional pelo curso temporal. Ou seja, considerar qual a possibilidade de rápido crescimento e desenvolvimento da carreira em determinada atividade. Há pessoas que decidem trabalhar em uma empresa menor justamente por este critério: sua prioridade é a escalada corporativa.

Aprendizado – Qual é sua curva de aprendizado? O quanto está sendo desafiado a sair da zona de conforto e aprender coisas novas? O critério do aprendizado é valioso para discernir a relação entre a atividade profissional e o prazer em aprender. Vale ressaltar a relação direta entre este critério e o critério dos recursos: quanto maiores os fluxos de aprendizado, maiores as possibilidades de remuneração e influência profissional.

Relacionamento – Leva em conta a qualidade das suas relações com seus pares, colaboradores e liderança imediata. O quanto você tem proximidade, abertura, confiança e admiração é um fator que pesa bastante para a própria saúde emocional.

Reafirmamos que esses sete critérios são um ponto de partida, não de chegada. A partir deles você pode inserir outros que façam sentido para sua trajetória a longo prazo, ou num momento específico. Decidir sem critérios claros é como construir um edifício sem alicerces.

Insights para sua carreira

Examine em profundidade seus valores de vida: os critérios de carreira estão edificados sobre os seus valores de vida mais profundos. Mergulhe para saber quais são os valores mais importantes para sua vida. Quanto mais você entende seus próprios valores, fica mais fácil definir seus critérios de carreira.

Apure os fatos em primeira mão: antes de mudar de empresa, de setor ou até mesmo de carreira, apure por você mesmo o histórico recente do novo campo pretendido. Em decisões desesperadas muitas pessoas saem de um problema para um problema ainda maior. Portanto, tenha conversas com pessoas que trabalham e pessoas que já não trabalham mais no novo ambiente pretendido para entender de fato como as coisas estão.

Compreenda os critérios dos outros: gestores inteligentes são capazes de entender rápido quais são os critérios mais importantes para seus liderados. A consciência dos critérios de carreira dos colaboradores é vital para o desenvolvimento do trabalho em equipe e o rendimento de alta performance.

Gostou do artigo escrito por Augusto Jr. e Davi Lago? Saiba que você pode se informar e aprender muito mais sobre gestão de carreira, negócios e liderança assinando nossas newletters.

Compartilhar:

Colunista

Colunista Davi Lago e Augusto Jr

Davi Lago e Augusto Jr

Davi Lago e Augusto Jr

Davi Lago é professor e pesquisador do Laboratório de Política, Comportamento e Mídia da PUC-SP e autor do best-seller em produtividade "Formigas" (Editora MC). Augusto Jr é diretor executivo do Instituto Anga e professor convidado da Fundação Dom Cabral. 

Eles escrevem mensalmente para a coluna Perspectivas de carreira.

Artigos relacionados

Imagem de capa Anticarreira para seu futuro profissional

Carreira

17 Julho | 2023

Anticarreira para seu futuro profissional

Vislumbre um futuro desejável e desenhe mapas de competência para permanecer relevante para além das inovações tecnológicas. Adote projetos de atuação futura flexível, combinada com propósito, bem-estar, adaptabilidade e capacidade de aprender ao longo da vida

Gustavo Donato

3 min de leitura

Imagem de capa Otimismo no universo de coaching

Carreira

24 Maio | 2023

Otimismo no universo de coaching

As empresas têm exigido cada vez mais coaches credenciados. O coach não pode atuar de qualquer jeito. Por isso, o Brasil está debatendo a regulamentação da profissão nas casas legislativas

Sandra Regina da Silva

5 min de leitura

Imagem de capa Para mudanças inevitáveis, um norte claroAssinante

Carreira

12 Maio | 2023

Para mudanças inevitáveis, um norte claro

Nem sempre é fácil parar e refletir sobre o que queremos em nossa carreira, ainda mais em um contexto como o atual. Mas esse exercício é essencial para manter a motivação

Sandra Chemin