fb-embed

Cultura organizacional

3 min de leitura

Cultura de desenvolvimento para o crescimento sustentável da organização

Empresas que buscam progresso sustentável e relevância no mercado atual, aplicam a cultura de desenvolvimento investindo no crescimento dos colaboradores. A estratégia é fundamental para a formação de líderes capazes de guiar a organização rumo ao futuro

Colunista Fabiana Ramos

Fabiana Ramos

27 de Novembro

Compartilhar:
Artigo Cultura de desenvolvimento para o crescimento sustentável da organização

Nos últimos anos, temos visto uma transformação profunda no mundo corporativo. O que antes era considerado luxo, hoje é uma necessidade premente: investir no crescimento dos colaboradores. Pesquisa da Warwick University aponta que pessoas que trabalham felizes e engajadas são 12% mais produtivas do que aquelas que não estão satisfeitas com o ambiente de trabalho.

Se essa já era a realidade de um mundo pré-pandemia, hoje é prova de que a cultura de desenvolvimento não é apenas tendência, mas uma estratégia vital para empresas que buscam progresso sustentável e relevância no mercado atual.

Antes de adentrarmos nos detalhes práticos de implementação, é crucial compreender o que engloba esse termo, que é essencialmente, um conjunto de valores, práticas e crenças que colocam o crescimento e a evolução dos funcionários no centro das operações da organização.

É uma abordagem que vai além da mera qualificação técnica, visando também o aprimoramento de habilidades socioemocionais e o bem-estar no ambiente de trabalho. E isso também já é comprovado: um estudo do Boston Consulting Group indica que instituições com forte cultura de desenvolvimento são 1,4x mais propensas a inovar e têm 1,6x mais chances de estar na vanguarda da transformação digital.

Implementação e impacto dessas práticas no ambiente de trabalho

Para adotar esses novos hábitos, os líderes precisam estar dispostos a investir tempo e recursos na evolução de suas equipes. Isso significa oferecer oportunidades de aprendizado, dar feedbacks constantes e prover um ambiente que incentive a colaboração e a inovação. Além disso, é essencial que todos compreendam e abracem essa mentalidade, desde os cargos mais altos até os níveis mais operacionais.

Aqui vai mais um dado: um relatório da Harvard Business Review sugere que companhias que possuem uma conduta estável de aprendizado e aperfeiçoamento de pessoas têm 37% mais probabilidade de superar as expectativas de faturamento e 92% mais probabilidade de serem inovadoras em comparação com organizações que não investem nessa área. Isso mostra que uma cultura de desenvolvimento bem estabelecida é um catalisador poderoso para a escalada de empresas.

Pessoas engajadas e em constante evolução são mais produtivas, criativas e resilientes. Elas se tornam não apenas executoras de tarefas, mas agentes de transformação, capazes de impulsionar a inovação e a competitividade da corporação no mercado. Não estamos falando de um ponto de vista intuitivo, mas sim embasado em sólidas evidências. Além disso, a retenção de talentos é notavelmente mais alta em organizações que promovem a prática de aprendizado contínuo.

Desafios e engajamento para formar líderes para o futuro

É importante destacar que a implementação dessa nova visão não é isenta de desafios. A resistência à mudança e a falta de recursos são obstáculos comuns. Mas, ao superar esses entraves, as empresas abrem portas para um nível inestimável de engajamento e lealdade dos colaboradores. Ao perceberem que a organização está comprometida com o seu desenvolvimento, os profissionais se sentem motivados a investir em suas próprias trajetórias de carreira.

Além do crescimento individual, a cultura de desenvolvimento eficaz também é fundamental para a formação de líderes capazes de guiar a organização rumo ao futuro. Lideranças bem treinadas e alinhadas com as práticas da empresa são essenciais para manter o ritmo das transformações e enfrentar os desafios que o mercado apresenta diariamente.

Em um cenário empresarial cada vez mais competitivo e dinâmico, a cultura de desenvolvimento não é mais escolha, e sim estratégia de negócios. Então, convido você, leitor, que é gestor ou líder, a abraçar essa análise e investir no potencial dos seus funcionários O retorno será não apenas quantificável em números, mas também sentido em um ambiente de trabalho mais motivador e produtivo para todos. Que possamos juntos construir organizações mais fortes, mais preparadas e mais humanas.

Compartilhar:

Autoria

Colunista Fabiana Ramos

Fabiana Ramos

Fabiana Ramos é CEO da PinePR, agência de PR especializada no atendimento a scale-ups, empresas de tecnologia e grandes players inovadores, com atuação dentro e fora do Brasil, e possui 20 anos de experiência em empresas multinacionais. É responsável pela expansão comercial da agência e por posicionar a PinePR como referência no mercado, garantindo a melhor experiência para os clientes. Atuou também por 3 anos na expansão comercial da Swarovski, desenvolvendo uma abordagem internacional de vendas. Em 2024, foi convidada a se tornar Membro do Conselho Consultivo do 30%Club Brazil, iniciativa global que promove a equidade de gênero nos Conselhos de Administração das 100 maiores companhias do Mercado de Capitais e também nas posições C-Level.

Artigos relacionados

Imagem de capa Cultura de desenvolvimento para o crescimento sustentável da organização

Cultura organizacional

27 Novembro | 2023

Cultura de desenvolvimento para o crescimento sustentável da organização

Empresas que buscam progresso sustentável e relevância no mercado atual, aplicam a cultura de desenvolvimento investindo no crescimento dos colaboradores. A estratégia é fundamental para a formação de líderes capazes de guiar a organização rumo ao futuro

Fabiana Ramos

3 min de leitura

Imagem de capa Franchising, varejo e cultura: de gestor para gestor

Cultura organizacional

21 Novembro | 2023

Franchising, varejo e cultura: de gestor para gestor

Para criar uma cultura de franchising sólida, a empresa deve ter clareza de papéis e responsabilidades de todas as partes envolvidas na cadeia. E isso só é possível a partir da orquestração de conhecimento técnico específico, engajamento das partes envolvidas e decisão estratégica de fazer dar certo

Ana Flavia Martins

4 min de leitura

Imagem de capa Sete medidas para economizar na gestão de viagens corporativas

Cultura organizacional

16 Novembro | 2023

Sete medidas para economizar na gestão de viagens corporativas

É possível reduzir os custos e despesas das viagens corporativas, mas precisa de estratégia, planejamento de longo prazo, análise de dados, e muita pesquisa. A otimização dos recursos da empresa vai além de procurar por passagem aérea mais barata

Guilherme Rizzi

6 min de leitura

Imagem de capa Para melhorar a comunicação interpessoal, design de relacionamentos

Cultura organizacional

15 Novembro | 2023

Para melhorar a comunicação interpessoal, design de relacionamentos

Relacionamentos saudáveis permitem que as pessoas se expressem genuinamente, reconhecendo e compartilhando esforços, mesmo quando o resultado não é alcançado. Com orientação e design intencional, o potencial de comunicação pode trazer boas conexões, crescimento e sucesso

Daniela Cais

6 min de leitura

Imagem de capa Como acabar com a era de lavagem de valores humanos

Cultura organizacional

14 Novembro | 2023

Como acabar com a era de lavagem de valores humanos

Exibir a dedicação de uma organização a princípios éticos, diversidade e responsabilidade social sem implementar genuinamente esses valores no ambiente de trabalho desgasta a confiança dos colaboradores, clientes e partes interessadas, além de trazer consequências negativas no futuro

Aline Sousa

2 min de leitura

Imagem de capa Melhores empresas para trabalhar no Brasil em 2023: mudanças e curiosidades

Cultura organizacional

10 Novembro | 2023

Melhores empresas para trabalhar no Brasil em 2023: mudanças e curiosidades

Algumas transformações ocorreram ao longo do ano nas empresas consideradas as melhores para trabalhar no País. Em formato de vídeo, são listadas cinco curiosidades e mudanças que aconteceram nessas organizações em 2023

Daniela Diniz

0 min de leitura