fb-embed

Inovação

3 min de leitura

Vivendo e aprendendo com um camelo

Mais do que o unicórnio, a pandemia nos fez ver a importância de ser resiliente, sólido, perseverante. É o momento de ser camelo!

Gabriela Onofre

18 de Novembro

Compartilhar:
Artigo Vivendo e aprendendo com um camelo

Se você se interessa pelo mundo das startups, certamente já ouviu os termos unicórnio e camelo. O primeiro, cunhado em 2013 por Aileen Lee, fundadora da Cowboy Ventures, se refere àquelas empresas que foram avaliadas em mais de US$ 1 bilhão antes da sua abertura de capital.

A escolha do nome deve-se à raridade dessas startups – que hoje já não são tão raras assim. Os primeiros unicórnios, antes mesmo de ter definição para tal feito, foram as big techs Google e Facebook. No Brasil temos alguns nomes importantes nessa lista, como 99, PagSeguro, Nubank, Stone e GymPass.

Já as startups camelo, batizadas assim pelo investidor Alex Lazarow, são aquelas que têm como foco a sua sustentabilidade e sobrevivência. São organizações resilientes, sustentam visão a longo prazo, possuem estrutura econômica sólida e conseguem sobreviver – e até crescer – em meio a crises.

Contudo, para chegar ao oásis, essas companhias também precisaram cruzar desertos, se adaptar a mudanças, provar seu modelo de negócio. É por isso que quando vejo a história da Acesso Digital, onde estou hoje, e principalmente como nos fortalecemos na crise sanitária, tenho ainda mais segurança que as grandes empresas do futuro serão aquelas rotuladas como camelos hoje.

Alguns dos traços que ajudam a definir essa longevidade são:

O propósito é grande e de longo prazo

Na Acesso Digital, queremos transformar a sociedade em digital. Vamos mudar o mundo para melhor, fazendo com que as interações das pessoas sejam simples e sem burocracia, centradas em uma identidade digital segura e confiável. Estamos pensando anos à frente, temos um propósito claro e focamos em inovações que vão transformar a comunidade, não só adicionar novidades.

Não temos medo de errar e mudar o caminho

Até 2015, nosso faturamento foi oriundo da gestão eletrônica de documentos, porém, o mercado parou de crescer. Pivotamos o caminho para o reconhecimento facial, mas não nosso propósito. Isso significa que ajustamos planos à medida que o cenário muda. Por exemplo, durante a pandemia, o uso de assinatura digital foi acelerado, adequamos nossa estratégia e iniciamos um novo negócio para a empresa.

O cliente é a nossa razão

Tudo o que a gente faz tem o cliente no centro, e nosso foco está em resolver seus problemas. Fazemos por ele, com ele, para ele. Nossos produtos evoluem de acordo com o uso que o cliente faz deles e novas necessidades aparecem. O importante é oferecer valor, assim podemos cobrar pela qualidade do que servimos.

Olhamos para fora continuamente

O futuro está a um voo de distância. Buscamos inspiração em outros países, em outros setores, em outras empresas. Sempre!

O negócio tem que parar de pé sozinho

A atenção aos custos e à lucratividade sempre existiu. Nosso modelo SaaS (software as a service) nos garante recorrência de faturamento. Investimentos aceleram o crescimento, mas não garantem a sustentabilidade. Ter tranquilidade de caixa, e não precisar de investidor antes da hora, assegura aos fundadores o controle do negócio por mais tempo.

Há espaço para crescer na crise

A pandemia acelerou a transformação digital e nós estávamos preparados para o desafio. Em menos de 6 meses depois do nosso primeiro investimento, recebemos mais R$ 580 milhões de aporte dos fundos General Atlantic e Softbank, que se uniram pela primeira vez na mesma rodada com o objetivo de investir em uma empresa B2B no Brasil.

Passar por uma crise nunca é fácil, mas é em momentos como esse que vemos a capacidade de adaptação das empresas e de seus líderes. Ajustar rotas, estar próximo do cliente, observar novas oportunidades e pivotar novos jeitos. Que adaptações você fez em seus planos, e o que está aprendendo? Tem energia e força o suficiente para seguir até tudo isso passar? Uma característica do camelo é que ele consegue correr por períodos relevantes, caso seja a hora certa. E a hora é agora.

Confira mais artigos sobre inovação no Fórum: Marketing Makers HSM Management.

Compartilhar:

Autoria

Gabriela Onofre

Trocou as grandes corporações pelo mundo das startups e atualmente é CMO da unico, IDTech especializada em tecnologia para identidades digitais.

Artigos relacionados

Imagem de capa Sem governança, nada prospera (nem inovação)Assinante

Inovação

29 Dezembro | 2023

Sem governança, nada prospera (nem inovação)

Governança é o mecanismo de equilíbrio e estabilidade de uma organização, direcionador de sua performance como um todo e, assim, do alcance de seus objetivos. Fazendo uma alegoria, ela é o hardware sem o qual nada roda – nem o grande motor de crescimento atual, que é a inovação, nem os boosters listados neste Dossiê. Este artigo ajuda a entender por que a governança é uma espécie de “superbooster”, hors concours, e como ela funciona.

Claudinei Elias
Imagem de capa Um framework de transformaçãoAssinante

Inovação

29 Dezembro | 2023

Um framework de transformação

Todas as empresas e lideranças dos dias atuais têm de fazer mudanças – várias, às vezes em sequências sem intervalos ou até ao mesmo tempo. A sensação sempre é algo como colocar um avião no ar sem ter sido ensinado a pilotar; para inspirar pessoas e movimentos, aprende-se a mexer nos botões em pleno voo. Ter um framework para mudar é um booster.

Daniel Martin Ely
Imagem de capa 2023 foi caótico – e 2024 também seráAssinante

Inovação

29 Dezembro | 2023

2023 foi caótico – e 2024 também será

Se você fizesse um post-mortem do ano que se encerrou, não só do seu ano mas em geral, enxergaria os altos e baixos – e veria que não é diferente de outros anos

Ellen Kiss
Imagem de capa Nordeste à frente em inovação no País

Inovação

07 Novembro | 2023

Nordeste à frente em inovação no País

A região nordestina do Brasil tem algumas vantagens competitivas em comparação às outras regiões do País, como custos operacionais reduzidos. Sem perder a qualidade. Além de muitos incentivos governamentais e programas de apoio à inovação que atraem investimentos e o desenvolvimento

Diogo Catão

2 min de leitura

Imagem de capa Advocacia humanizada é o caminho para o futuro

Inovação

29 Agosto | 2023

Advocacia humanizada é o caminho para o futuro

A humanização da relação advogado-cliente se baseia em tratar os clientes como indivíduos únicos, com suas histórias e aspirações. É preciso ouvir atentamente, ser empático e compreender as questões emocionais que estão subjacentes aos problemas legais

Rayff Machado

2 min de leitura