fb-embed

Diversidade

2 min de leitura

Mercado publicitário deve contratar mais pessoas acima dos 50 anos

Diversidade etária ainda está fora do radar. Está na hora de mudar isso

Colunista Bruno Höera

Bruno Höera

07 de Outubro

Compartilhar:
Artigo Mercado publicitário deve contratar mais pessoas acima dos 50 anos

Olhando os times das agências, e mesmo os clientes, percebe-se claramente que o mercado acaba deixando para trás muita gente. Onde estão as pessoas 50+ no nosso mercado? Cadê a diversidade etária? O que as empresas estão deixando de ganhar em não ter essa inclusão nas equipes?

Dar voz e espaço para profissionais 50+, que estão fora do mercado de trabalho, sugere uma transformação significativa para a evolução e amadurecimento das campanhas publicitárias, e traz novas alternativas de comunicação para os diferentes públicos de uma marca. Afinal, as tendências atuais não se restringem ao público jovem, mas a estratégia de comunicação e as ressalvas ainda seguem direcionando seu público-alvo.

Se a diversidade é uma ferramenta de inovação, a maturidade tem como principal papel nos dar segurança e sabedoria de quem tem muitos anos de praia. Os jovens aprendem com os mais velhos e vice-versa. De um lado, a ingenuidade e leveza do aprendiz. Do outro, o autoconhecimento e a coleção de aprendizados. Informação + vivência + experiência. Como cita o poeta Zack Magiezi: “Maturidade é procurar profundidade antes de mergulhar de cabeça”.

Nos últimos anos, com a questão da longevidade, ficou clara a importância não só de criarmos ações para as pessoas 50+ como também de fazer o óbvio: incluir essas pessoas para construir as ações para elas mesmas. Com essa consciência, o mercado deve compreender que é necessária uma reavaliação dos critérios econômicos que priorizam as contratações jovens e considerar também a experiência como alto valor.

Como publicitário, acredito que está na hora de entendermos que para "rejuvenescer" as marcas precisamos amadurecer nossos times. A diversidade é uma ferramenta de inovação e, além da necessidade, esse é um dos fatores que fazem do Brasil um país tão criativo. A pluralidade de pessoas em uma empresa permite mais horizontalidade, um ambiente melhor de trabalho, aumentando a produtividade e a rentabilidade das corporações.

Somar as diferenças, a meu ver, é ganhar mais proteção. É uma conta simples, mas que apenas ficou óbvia quando o discurso ficou batido o suficiente para ser transformado em ações. Muitas dessas ações validaram na prática o que estava difícil da teoria explicar.

Outra peça-chave é a consistência da comunicação inclusiva para a ampliação das discussões, e ir muito além do calendário de marketing e falar de forma contínua sobre assuntos que rodeiam a diversidade, não somente o que está em pauta. Diferentes peças desse quebra-cabeça da diversidade compõem um lugar em comum novo e criativo.

Compartilhar:

Autoria

Colunista Bruno Höera

Bruno Höera

Bruno Höera é fundador da agência Portland

Artigos relacionados

Imagem de capa Desempenho e juventude, a associação a superar?

Diversidade

24 Dezembro | 2023

Desempenho e juventude, a associação a superar?

É nos esportes que o preconceito contra pessoas mais experientes no mercado de trabalho fica mais evidente. É possível combatê-lo? Até quando agiremos como se a maior longevidade não fosse uma realidade que chegará à maioria?

Fran Winandy

9 min de leitura

Imagem de capa Duas tendências para evolução da governança colaborativa

Diversidade

24 Outubro | 2023

Duas tendências para evolução da governança colaborativa

A crescente busca por participação feminina e a preocupação com a sustentabilidade são cruciais para o constante avanço do cenário da governança colaborativa. Essas tendências estão transformando o modo como empresas e governos conduzem suas operações e tomam decisões

Farias Souza

2 min de leitura

Imagem de capa D&I: como adotar medidas para melhorar a dinâmica da equipe

Diversidade

10 Outubro | 2023

D&I: como adotar medidas para melhorar a dinâmica da equipe

O compromisso da liderança é promover uma cultura inclusiva em todos os níveis da organização. Para uma abordagem prática do tema, devem ser estabelecidas metas mensuráveis, medidas concretas e políticas de responsabilização transparentes nas organizações, além da escuta ativa

Raquel Braga

3 min de leitura

Imagem de capa Investimentos em startups difere pelo gênero da liderança: como mudar o cenário

Diversidade

25 Agosto | 2023

Investimentos em startups difere pelo gênero da liderança: como mudar o cenário

Startups fundadas por mulheres recebem menos investimentos do que as lideradas por homens, mas elas faturam mais. Organizações precisam tomar a iniciativa de investir mais no empreendedorismo feminino

Carolina Gilberti

2 min de leitura