fb-embedRespeite a filantropia HSM Management

Desenvolvimento pessoal

4 min de leitura

Respeite a filantropia

Para lidarmos com os desafios da atualidade, precisamos de abordagens que olhem para fora e para dentro. A partir disso, a Benfeitoria criou três pilares de atuação para organizações que levam ESG a sério: plante uma árvore, tenha um filho e escreva um livro

Colunista Tati Leite

Tati Leite

14 de Março

Compartilhar:
Artigo Respeite a filantropia

A palavra respeito vem do inglês re-spect (olhe de novo). E como a pandemia aprofundou ainda mais os abismos sociais do Brasil, no pior do efeito Xibom bombom (como na música: “onde o rico cada vez fica mais rico e o pobre cada vez fica mais pobre”), faço aqui um apelo às lideranças das grandes organizações: revisitem sua forma de olhar para – e agir sobre – a filantropia.

Para dar conta dos desafios atuais, precisamos de uma abordagem mais profunda, sistêmica e regenerativa. Abordagens que olhem para fora e para dentro. Para hoje e amanhã. Na tentativa de destravar esse processo, criamos na Benfeitoria um guia simples, inspirado na máxima do legado pessoal: plante uma árvore, tenha um filho, escreva um livro. Sua organização atua nesses três pilares?

PLANTE UMA ÁRVORE

DOE. Simplesmente doe. Doamos 10 vezes menos do que os americanos doam em relação ao PIB. Num país tão desigual como o Brasil, precisamos urgentemente disseminar uma cultura de doação pura e simples, sem contrapartidas.

Toda empresa grande deveria ter uma linha de ação para doação, sem neurose de estar dando peixe em vez de ensinar a pescar. Doe. Simplesmente doe. Não existe evolução e mudança significativa sem muito fomento e colaboração, nem dentro nem fora da filantropia. Investimos bilhões em negócios e empreitadas de risco. Por que sub financiamos o social e ainda exigimos tanto das OSCs (Organizações da Sociedade Civil) pelas nossas doações?

Quem tem fome (não só de comida), tem pressa. Aliás, no contexto atual, a fome voltou com força, de forma obscena. Segundo oestudo da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, mais da metade da nossa população vive em insegurança alimentar e quase 20 milhões em nível crítico.Nossas crianças estão desmaiando de fome nas escolas públicas.

É preciso dar o peixe sim, com arroz e feijão. Como diz Yuval Noah Harari, historiador e autor dos best sellers Sapiens e Homo Deus: “Não ocorrem mais surtos de fome por causas naturais; há apenas fomes políticas.”

Considere doar de forma radicalmente desburocratizada, comoMackenzie Scott, que está revolucionando a filantropia lá fora.

TENHA UM FILHO

Crie projetos em parceria com outras instituições. Estou falando de filantropia colaborativa. A fórmula que transforma 1 + 1 em algo muito maior e mais poderoso que 2. Algo único, a partir da junção do DNA de diferentes parceiros.

Aqui sim, há espaço (e muito!) para inovar e criar arranjos mais elaborados, seja para olhar de forma estratégica para o futuro ou para mitigar os desafios emergenciais do presente com mais potência.Matchfunding, fundos colaborativos, círculos de doação, coalizões, inovação aberta… É tanto modelo, que mais que um texto à parte, rende umlivro. E já foi escrito, pela Erika Sanchez para a sérieTemas do Investimento Social, do GIFE. Só baixar :)

Mas faço um adendo: Como a maioria dos tomadores de decisão no investimento social privado é composta por pessoas brancas privilegiadas, que vivem realidades muito distantes das que pretende ajudar (me incluo), é importante buscarmos intencionalmente parceiros (dentro e fora das nossas instituições) que tenham jornadas diferentes das nossas.

Políticas de fomento precisam ser feitas por grupos diversos. Não é só o certo a ser feito: é a forma mais inteligente de se complementar olhares e saberes para criar ações que fomentem um mundo realmente para todos.

(RE)ESCREVA UM LIVRO

Olhe para dentro e reescreva sua história. Aqui estou falando de filantropia regenerativa. Se perceba como parte geradora do problema e procure investigar o que está olhando, mas não está vendo. O que você e sua instituição praticam (ou deixam de praticar) que perpetua nosso sistema desigual e opressor — para dentro e para fora? Olhe para isso e saiba que nunca é tarde para escrever um novo capítulo.

Esse tema também rende muito, mas gosto de introduzi-lo através de um depoimento muito impactante que Ray Anderson, CEO da Interface.Inc, deu para o documentário “A Corporação”. São três minutos que prometem reverberar por muito tempo.

É … é forte. E é muita coisa, eu sei. Não fiz esse texto para ser mais uma pressão na sua vida, mas como um chamado à responsabilidade, no sentido mais bonito da palavra: habilidade em responder.

Que em 2022 tenhamos a habilidade de fazer diferente para fazer real diferença.

Compartilhar:

Autoria

Colunista Tati Leite

Tati Leite

Tati Leite é cofundadora e CEO da Benfeitoria, plataforma que há dez anos vem impulsionando e popularizando a cultura da doação no Brasil.

Artigos relacionados

Imagem de capa Gestão de projetos pode ajudar na maternidade

Desenvolvimento pessoal

27 Junho | 2023

Gestão de projetos pode ajudar na maternidade

Entender o equilíbrio dos recursos, tempo e escopo é a base de tudo na maternidade. Não é preciso escolher entre ser uma super mãe ou uma super profissional. É possível ser o melhor para os filhos e para o trabalho com os recursos que estão disponíveis no momento

Rachel Filipov

6 min de leitura

Imagem de capa A cultura do imediatismo e o desgaste na saúde

Desenvolvimento pessoal

16 Junho | 2023

A cultura do imediatismo e o desgaste na saúde

Saia do piloto automático, se questione e mude o paradigma sobre si mesmo. É fundamental atuar no autoconhecimento para que a inovação comportamental e emocional aconteça

Heloísa Capelas

4 min de leitura

Imagem de capa Voluntariado é a chave para o desenvolvimento pessoal e profissional

Desenvolvimento pessoal

13 Junho | 2023

Voluntariado é a chave para o desenvolvimento pessoal e profissional

Os programas de voluntariado ajudam a incutir em seus colaboradores a missão, visão e valores da organização, além de valorizar o profissional enquanto pessoa, conferindo a ele um significado no mundo

Glaucimar Peticov

2 min de leitura

Imagem de capa Valorize a sua capacidade de aprender

Desenvolvimento pessoal

06 Junho | 2023

Valorize a sua capacidade de aprender

Seja curioso, tenha dúvidas, faça perguntas, mantenha-se atualizado sobre as novas tendências, acima de tudo tenha vontade de aprender. Invista no seu próprio crescimento e conhecimento para se tornar um excelente profissional, pronto para enfrentar qualquer desafio

Maicon Dias

3 min de leitura

Imagem de capa Pare de tentar equilibrar vida pessoal e profissional

Desenvolvimento pessoal

23 Março | 2023

Pare de tentar equilibrar vida pessoal e profissional

Vida só existe uma. E o trabalho se insere nela, não ao contrário. Alinhe seus critérios de sucesso profissional e valores pessoais para facilitar nas tomadas de decisão

Antonio Werneck

4 min de leitura

Imagem de capa Três técnicas para melhorar sua saúde mental e gestão emocional

Desenvolvimento pessoal

13 Março | 2023

Três técnicas para melhorar sua saúde mental e gestão emocional

Para viver melhor com você mesmo e com as outras pessoas, seja no trabalho com colegas ou em casa com a família, comece a desenvolver e praticar a autoconsciência sobre suas emoções

Virginia Planet

4 min de leitura