Desenvolvimento pessoal

5 min de leitura

Pensamento crítico e integrado são diferenciais na sua carreira

Hoje o grande desafio não é acessar informação, o desafio é conseguir analisar, priorizar e catalogar essa informação de maneira que gere valor para a tomada de decisão.

Colunista Davi Lago e Augusto Jr

Davi Lago e Augusto Jr

05 de Junho

Compartilhar:
Artigo Pensamento crítico e integrado são diferenciais na sua carreira

A inteligência artificial ainda não é capaz de discernir situações como os seres humanos. 

Desse modo, a despeito dos amplos processos de automação do mercado de trabalho, a habilidade humana de pensar criticamente e de modo integrado permanece como um dos grandes diferenciais na carreira profissional. 

Esta competência é especialmente valorizada na sociedade contemporânea por, pelo menos, três razões: a explosão informaciona_l; a _velocidade das mudanças; as guerras de narrativas político-econômicas. 

Sobre o primeiro tópico, explosão informacional, vale ressaltar que os cientistas da informação quantificaram os dados: a quantidade de informações que recebemos diariamente no meio urbano é cinco vezes maior que em 1985. 

Segundo o neurocientista comportamental Daniel J. Levitin, a capacidade de processamento da mente consciente foi calculada em 120 bits por segundo. Ou seja, nossos cérebros têm capacidade de processar apenas parte informação que recebemos, pois tem dificuldade de separar o trivial do importante, e processar um volume grande de informação cansa. 

Em segundo lugar, não apenas recebemos um volume enorme de conteúdo, mas em alta velocidade. 

A sociedade reconfigurada pela tecnologia acelerou radicalmente os processos de interação social, produção, consumo, participação política, etc. Conforme alerta Franco Berardi, professor de teoria da mídia na Accademia di Belle Arti em Milão, “submetida à aceleração infinita do infoestímulo, a mente reage na forma de pânico ou de dessensibilização”. 

Em terceiro lugar, estamos expostos às guerras de narrativas entre grupos políticos e econômicos repletas de notícias falsas, marketing abusivo, spams, vírus e toda sorte de lixo virtual. 

Infelizmente existem grupos organizados dedicados integralmente a enganar e explorar os recursos de cidadãos ao redor do mundo. 

Conforme o politólogo Sérgio Abranches afirma, a situação atual está “desafiando nossa capacidade de ter consciência plena das situações que se sucedem em ritmo cada vez mais rápido”.  

Assim, neste cenário de sociedades complexas, a competência do pensamento crítico e integrado é compreendida como a capacidade de interpretar fatos, números, estatísticas, relatórios, variáveis, e tomar decisões específicas sem perder de vista o cenário geral. 

O conceito inclui a noção de inteligência contextual: a aptidão de perceber as interlocuções do ambiente interno e externo à sua organização e prover soluções aos problemas organizacionais com sincronismo ao momento econômico, social e político.

Insights para carreira

Aumente seu repertório de conhecimento e aprendizagem

Os ambientes são muito importantes para a formação e desenvolvimento do pensamento. Um ambiente familiar rico em incentivos culturais contribui, sem dúvida, para despertar e consolidar interesses intelectuais. 

Contudo, mesmo quem tenha os interesses intelectuais aflorados em momento posterior à juventude, tem todas as condições de desenvolvê-los se houver determinação. O interesse facilita a aprendizagem porque aumenta o rendimento e diminui o cansaço. 

Nesta trajetória é crucial frequentar ambientes que estimulem o conhecimento, a aprendizagem e a troca de experiências e informações. Por exemplo, locais como universidades, bibliotecas, livrarias, museus, galerias, exposições, ampliam nosso contato com ideias novas. 

O mesmo ocorre com a diversificação das leituras: revistas, periódicos acadêmicos, jornais de diferentes perspectivas são elementares para ter a consciência das tendências contemporâneas. Suzanne Muchin, CEO da Civitas, disse: “se as pessoas dispõem de informações melhores, tomam decisões melhores – ponto final”.

Pense por si

Não basta estar informado das tendências e novidades, é preciso aprender a pensar por si só. 

No inspirado ensaio “Pensar por si mesmo”, o filósofo Arthur Schopenhauer afirma que a mais rica biblioteca, quando desorganizada, não é tão proveitosa quanto uma bastante modesta, mas bem ordenada. 

Da mesma maneira, uma grande quantidade de conhecimentos, quando não foi bem elaborada por um pensamento próprio, tem muito menos valor do que uma quantidade bem mais limitada, que, no entanto, foi devidamente assimilada. 

Só é possível pensar com profundidade sobre o que se sabe, por isso se deve aprender algo; mas também só se sabe aquilo sobre o que se pensou com profundidade. Os profissionais com habilidade em pensar criticamente e de modo integrado criam estratégias de ação de modo consciente.

Não tropece em modismos

O pensamento integrado está atento para a cultura organizacional e busca equilibrar as necessidades dos colaboradores entre o desejável e o possível de ser realizado. 

Dessa forma você consegue se desenvolver sem ansiedade  e pressão  dos modismos do mercado, e não é tomado pelo que estão chamando  de Síndrome FOMO (Fear Of Missing Out – medo de perder algo). 

Entenda quais os conceitos e informações são essenciais nesse momento da sua carreira e mergulhe nela. Não seja levado pelo último termo da moda do mundo corporativo. 

O filósofo Schopenhauer disse que é um grande erro pensar que tudo que é mais recente é necessariamente melhor: “não há erro maior do que acreditar que a última palavra dita é sempre a mais correta, que algo escrito mais recentemente constitui um aprimoramento do que foi escrito antes, que toda mudança é progresso”.

Pense estrategicamente

Se você deseja se tornar valioso para sua organização você precisa de três movimentos. 

Primeiro, entender para onde sua organização está indo, quais as grandes tendências do seu mercado? O segundo é entender: qual o foco estratégico para o ano na sua empresa? Por último, como sua área contribui diretamente para essa estratégia? 

Dessa forma você consegue entender qual a sua contribuição e onde alocar energia nos seus estudos e desenvolvimento pessoal.

Concentre-se em uma tarefa de cada vez

O hábito de fazer várias coisas ao mesmo tempo já foi visto como símbolo de status nos anos da globalização teleinformática entre 1970 e 1990. 

Na era clássica não era assim. Os latinos diziam: “age quod agis” (faça o que está fazendo). Do mesmo modo, hoje em dia, depois da melhor compreensão dos processos internos de funcionamento do cérebro, o mito do profissional disperso acabou. 

O ser humano é simplesmente incapaz de fazer com eficiência e excelência várias coisas simultaneamente. Quem vive fazendo malabarismos na execução de tarefas profissionais entrega, no mínimo, trabalhos mais demorados e com qualidade comprometida, ou seja, aquém do potencial. 

Elimine as distrações. Tire o alerta sonoro para mensagens no telefone ou e-mail. Verifique suas caixas de entrada nos momentos adequados na sua própria rotina, e não quando for interrompido por outras pessoas. 

A capacidade de pensar integralmente envolve a capacidade de concentração. Separe tempo para se dedicar com exclusividade às tarefas que exigem maior esforço, livre-se do vício de fazer várias coisas malfeitas ao mesmo tempo.

Esses exercícios te ajudarão a desenvolver seu pensamento crítico integrado e irão otimizar sua capacidade de pensar e você vai gerar muito mais valor para sua organização.

Compartilhar:

Colunista

Colunista Davi Lago e Augusto Jr

Davi Lago e Augusto Jr

Perspectivas de carreira

Davi Lago é professor e pesquisador do Laboratório de Política, Comportamento e Mídia da PUC-SP e autor do best-seller em produtividade "Formigas" (Editora MC). Augusto Jr é diretor executivo do Instituto Anga e professor convidado da Fundação Dom Cabral. 

Eles escrevem mensalmente para a coluna Perspectivas de carreira.