fb-embed

Liderança

3 min de leitura

Desafios de liderança em tempos de trabalho híbrido

Como o trabalho híbrido veio mesmo para ficar, fortalecer as competências de líderes é essencial para lidarmos com os desafios e as oportunidades desse modelo de trabalho; compartilho cinco perguntas que podem auxiliar nessa tarefa contínua

Colunista Viviane Mansi

Viviane Mansi

28 de Outubro

Compartilhar:
Artigo Desafios de liderança em tempos de trabalho híbrido

Setembro trouxe consigo a volta de muitos de nós para o trabalho presencial, ao menos parcialmente. As estratégias variam: algumas começaram uma vez por semana e devem chegar a três vezes somente em janeiro de 2022. Para outras, a estratégia foi começar logo com três encontros semanais. Poucas são aquelas que ainda se mantêm no trabalho completamente remoto.

Seja qual for o esquema de volta ao trabalho, a tarefa não parece estar sendo fácil. Enquanto algumas pessoas não viam a hora de retomar para a velha rotina, outras viram as suas vidas transformadas durante a pandemia e atualmente rejeitam os velhos padrões. Às empresas, cabe agora muita conversa para tentar acomodar todas as necessidades. Sim, você leu corretamente: talvez não haja um único esquema que dê conta de deixar a todos felizes e produtivos.

O trabalho remoto trouxe muitos benefícios: uso do tempo de deslocamento para outras finalidades, economia de combustível, menos estresse no trânsito, além de – de acordo com variadas pesquisas – mais produtividade no trabalho.

Fica de fora o registro de como é gerenciar times remotos, pois essa tarefa dá muito mais trabalho. Sempre é bom lembrar que cultura se constrói no convívio, assim como fica mais fácil de entender as necessidades das pessoas. Lideranças, portanto, têm incentivado os times a voltarem para as estruturas físicas de trabalho. Como cada caso é um caso, não vou me atrever a defender um ou outro modelo.

Líderes competentes

No entanto, como o trabalho híbrido veio mesmo para ficar, estamos diante da necessidade de fortalecimento das competências de liderança, como:

1. Será que você engorda as estatísticas e quer seu time de volta somente por conta de necessidade de status e poder, como comenta essa matéria da BBC? Se for o caso, existem chances altas de o time perceber e reagir negativamente, chegando inclusive a pedir desligamento.

2. Quando vocês estão no escritório, vocês conseguem verdadeiramente conviver, trocar experiências, resolver pequenas demandas de imediato? Se a resposta é sim, será mais fácil de as pessoas verem valor nesses encontros.

3. E como está seu contato com outras áreas? Ouvimos muito sobre o cuidado com a comunicação com o time durante o período intenso de trabalho remoto, mas menos relatos sobre a comunicação com as demais áreas da empresa. Talvez tenha chegado o momento, então, de fortalecer esses laços.

4. Você tem pessoas no seu time que foram contratadas durante o período de trabalho 100% remoto? Aproveite para estar perto agora. Entender uma cultura à distância dá muito mais trabalho e pode trazer diversas inseguranças.

5. Está no escritório? Deixe a agenda mais aberta, pois o ritmo de reuniões e contatos será outro. Da mesma forma que o trabalho remoto exige uma nova rotina, estar junto também determinada a criação de uma rotina de disciplina. No caso de liderança, a prioridade é estar disponível e investir tempo no diálogo.

Aparentemente, não existe um único jeito de o trabalho ser produtivo e proveitoso. Só conversando a gente vai se entender.

Gostou do artigo da Viviane Mansi? Confira outros conteúdos sobre liderança e trabalho híbrido assinando gratuitamente nossas newsletters e escutando nossos podcasts em sua plataforma de streaming favorita.

Compartilhar:

Colunista

Colunista Viviane Mansi

Viviane Mansi

Viviane Mansi

Viviane Mansi é executiva, conselheira e professora. Está atualmente na Diageo e passou por empresas como Toyota, GE, Votorantim e MSD. É coautora de Emoção e Comunicação – Reflexão para humanização das relações de trabalho.

Artigos relacionados