fb-embed

Transformação Digital

5 min de leitura

Desafios da implementação de uma cultura data-driven

Cada vez mais processos intuitivos não serão a melhor escolha para tomada de decisão. Planejamento, experimentação e análise acompanha olhar de dados, mas por que ainda não estamos os utilizando?

Denys Fehr

09 de Maio

Compartilhar:
Artigo Desafios da implementação de uma cultura data-driven

Nos dias de hoje, a quantidade de dados gerados pelas empresas é colossal. Cada interação com clientes, transação financeira e processo interno de negócios deixa uma trilha digital que pode ser analisada para obter insights valiosos.

No entanto, apesar do vasto potencial que os dados oferecem, muitas empresas ainda lutam para implementar uma cultura data-driven eficaz. Pessoas são a chave dessa transformação. Os líderes empresariais enfrentam uma série de desafios ao tentar promover uma cultura de tomada de decisão baseada em dados e é crucial entender esses obstáculos para superá-los com sucesso.

São 3 grandes grupos de barreiras que são claras nesse processo, com diferentes níveis de complexidade.

A. Barreira Técnica

Mais fácil de ser resolvida. Estamos falando de ferramentas e skills que se constroem com tempo e treinamento do investimento:

. Necessidades tecnológicas atuais e futuras da empresa;

. Tecnologias de análise de dados acessíveis e adequadas às necessidades da organização;

. Treinamento e desenvolvimento de habilidades técnicas para colaboradores em todos os níveis da empresa;

. Implementação de processos eficientes de gerenciamento e governança de dados para garantir a qualidade e a integridade das informações.

B. Barreira Organizacional ou Política.

Complexa de ser resolvida. Estamos falando aqui do colaborador que se vê antes da empresa. Todos nós, pessoas físicas, precisamos entender a política da empresa, as relações, forças e até o conflito que existe em metas individuais que, muitas vezes, são conflitantes quando olhamos departamento A x departamento B.

. Pessoas com resistência à mudança dentro da organização;

. Dificuldade de se obter transparência, confiança e colaboração dentro do processo e da transformação;

. Poder da informação, da proximidade à informação;

. Silos de negócio conflitantes;

. Metas e incentivos não alinhados com os objetivos da nova cultura;

. Cultura do medo de errar.

C. Barreira Cognitiva

Muito complexa de ser resolvida. Estamos falando aqui de seres humanos, que possuem suas histórias, passados, egos, projeção de futuro e emoções, que não são racionais muitas das vezes.

.Medo. Mudança de humor. Sentimento de confiança ou desconfiança a uma pessoa, processo, produto, estratégia;

. Insegurança de tentar o novo, de errar, de se expor;

. Mentalidade "automática" de estabilidade e segurança e não de aprendizado contínuo;

. Se juntar aos aliados e fortalecer os mais próximos. Não ter a mesma empatia com áreas conflitantes ou pessoas mais afastadas;

. Falta de questionamento ao status quo;

. Falta de incentivo à diversidade de pensamento.

Diante desse cenário, separei aqui de forma bem prática 4 desafios importantes nesse processo, que diariamente atuamos com nossa consultoria nas empresas parceiras, com vitórias e derrotas, mas sempre com aprendizados.

1. Resistência à Mudança:

O primeiro deles em qualquer empresa. Um dos maiores desafios enfrentados pelos líderes na implementação de uma cultura data-driven é a resistência à mudança. Muitos colaboradores podem estar acostumados a tomar decisões com base na intuição ou na experiência e podem ver a introdução de dados como uma ameaça à sua autoridade ou como uma mudança disruptiva em suas rotinas de trabalho. Convencê-los da importância e dos benefícios da análise de dados pode ser uma batalha difícil.

Para superar: realizar sessões de treinamento e workshops para educar os colaboradores sobre os benefícios da análise de dados; criar grupos de trabalho interdepartamentais para desenvolver soluções baseadas em dados para problemas específicos; reconhecer e recompensar os colaboradores que demonstram habilidades e iniciativas em análise de dados e implementar um programa de mentoria, onde colaboradores mais experientes em análise de dados possam orientar e apoiar aqueles que estão menos familiarizados.

2. Falta de Conhecimento e Habilidades:

A resistência à mudança se apresenta muitas vezes como parte "técnica". A falta de conhecimento e habilidades em análise de dados entre os colaboradores realmente é um desafio importante a ser vencido. Muitas empresas podem não ter equipes de análise de dados dedicadas ou investimentos suficientes em treinamento para capacitar seus colaboradores a trabalhar com dados de forma eficaz. Isso pode levar a uma subutilização dos recursos de dados disponíveis e a uma falta de confiança na precisão e relevância das análises.

Para superar: oferecer cursos online ou presenciais sobre análise de dados acessíveis a todos; promover a participação em conferências e eventos da indústria relacionados à análise de dados; estabelecer uma biblioteca de recursos e materiais de treinamento sobre análise de dados e deixar disponível para consulta; incentivar a realização de projetos práticos de análise de dados como parte do desenvolvimento profissional dos colaboradores.

3. Silos de Dados e Falta de Colaboração:

Quando o desafio técnico é atacado, se descobrem silos, feudos dentro das empresas, onde os informações e/ou dados são armazenados e gerenciados por departamentos ou equipes individuais, sem comunicação ou integração minimamente existente entre eles. Isso dificulta a análise holística dos dados e a geração de insights abrangentes que possam beneficiar toda a organização. Além disso, a falta de colaboração entre os departamentos pode levar a redundâncias, inconsistências e desperdício de recursos.

Para superar: implementar um sistema de gestão de dados centralizado que permita o compartilhamento de informações entre departamentos; designar um responsável pela gestão de dados em cada equipe ou departamento, garantindo a consistência e a integridade dos dados; realizar reuniões regulares entre os diferentes departamentos para compartilhar insights e alinhar estratégias e criar um ambiente de trabalho que incentive a colaboração e o compartilhamento de conhecimento entre os colaboradores.

4. Falta de Liderança e Compromisso:

Quando os 3 grandes tópicos anteriores são identificados e há um plano de ação de solução, temos o quarto grande desafio que é liderar essa mudança. Cultura começa e se mantém de cima para baixo em qualquer empresa e um dos maiores obstáculos para a implementação de uma cultura data-driven é a falta de liderança e compromisso por parte dos líderes empresariais no processo, no dia a dia. Sem o apoio e o exemplo de líderes de alto nível, os esforços para promover uma cultura de dados podem estagnar e não receber o investimento necessário em termos de recursos e prioridade estratégica.

Para superar: envolva os líderes empresariais desde o início do processo de implementação da cultura data-driven, destacando os benefícios estratégicos para a empresa; realizar sessões de sensibilização e workshops executivos para educar os líderes sobre as melhores práticas em análise de dados; estabelecer metas e métricas claras para medir o progresso e os resultados da implementação da cultura data-driven e criar um grupo de líderes internos dedicados a impulsionar a cultura data-driven em toda a organização.

Compartilhar:

Autoria

Denys Fehr

CEO & Partner da Just a Little Data

Artigos relacionados

Imagem de capa Desafios da implementação de uma cultura data-driven

Transformação Digital

09 Maio | 2024

Desafios da implementação de uma cultura data-driven

Cada vez mais processos intuitivos não serão a melhor escolha para tomada de decisão. Planejamento, experimentação e análise acompanha olhar de dados, mas por que ainda não estamos os utilizando?

Denys Fehr

5 min de leitura

Imagem de capa Despesas corporativas: o papel dos adiantamentos inteligentes na era digital

Transformação Digital

08 Maio | 2024

Despesas corporativas: o papel dos adiantamentos inteligentes na era digital

O papel vital da automação e evolução da força de trabalho passa por desafios quanto a tecnologia e quem fará uso dela. Por isso, cada vez mais perspectivas distintas podem nos ajudar a dar conta desse futuro.

Edson Gonçalves

4 min de leitura

Imagem de capa Por que as equipes de RH devem se preocupar com robótica?

Transformação Digital

07 Maio | 2024

Por que as equipes de RH devem se preocupar com robótica?

O papel vital da automação e evolução da força de trabalho passa por desafios quanto a tecnologia e quem fará uso dela. Por isso, cada vez mais perspectivas distintas podem nos ajudar a dar conta desse futuro.

Lotte Sodemann Sørensen

4 min de leitura

Imagem de capa A revolução musical na era do streaming: conexões, diversificação e experiências

Transformação Digital

05 Maio | 2024

A revolução musical na era do streaming: conexões, diversificação e experiências

A expectativa de vida cresceu consideravelmente, chegando a 76 anos em alguns pontos no Brasil, então: é hora de reconhecer o poder econômico e os hábitos de consumo dessa população madura e diversa, que representa uma oportunidade valiosa para os negócios.

Kika Brandão

5 min de leitura

Imagem de capa Transforme seu marketing com martech stack: o guia completo

Marketing Business Driven

30 Abril | 2024

Transforme seu marketing com martech stack: o guia completo

As inovações tecnológicas 4.0 já estão no cotidiano dos brasileiros, seja na melhor rota do aplicativo de mapas ou na série sugerida pelo streaming. No campo, já não são apenas uma realidade, mas também essenciais para o aumento da produtividade de forma sustentável.

Leticia Rosa

5 min de leitura