fb-embed

Transformação Digital

1 min de leitura

A Interseção Criativa: Arte, Inteligência Artificial e o Futuro da Colaboração

A arte é também resistência e o painel com Brooke Hopper e Debbie Millman não deixou isso longe: "Precisamos pensar nos próximos passos e trazer nossos direcionamentos para a produção de IA"

Colunista Marcel Nobre

Marcel Nobre

10 de Março

Compartilhar:
Artigo A Interseção Criativa: Arte, Inteligência Artificial e o Futuro da Colaboração

Na terceiro dia de SXSW 2024, a palestra "Criatividade em Fluxo: Arte & Inteligência Artificial", conduzida por Brooke Hopper e Debbie Millman, foram exploradas questões cruciais sobre como a arte e a inteligência artificial se entrelaçam no cenário contemporâneo.

Um dos pontos centrais discutidos foi a responsabilidade das empresas na utilização de dados para treinar IA, enfatizando a necessidade premente de transparência radical nesse processo, tanto com dados licenciados quanto não licenciados.

"Não vemos isso acontecendo hoje em dia. Estamos vendo processos serem construídos e cada vez mais agem por questões de ambições desconhecidas. Precisamos nos preparar para isso", destacou Hopper.

Uma das ideias foi criar um tipo de sinalização para que fosse possível identificar conteúdos gerados por IA. Essa estratégia é crucial, especialmente diante dos desafios éticos impostos pelos deep fakes, onde a distinção entre realidade e falsificação torna-se cada vez mais tênue.

A palestra ressaltou também a diferença fundamental entre a criatividade humana e a das máquinas, destacando que enquanto a IA pode potencializar a criatividade humana, ela não é e não será capaz de substituí-la.

Essa reflexão enfatizou a importância da colaboração entre humanos e IA para gerar resultados criativos verdadeiramente inovadores. Projetando-se para o futuro, vislumbra-se uma crescente proximidade entre humanos e IA, resultando em experiências criativas mais imersivas e ricas nos próximos 10 anos.

Esse avanço será impulsionado pelo design computacional e pela contínua interação entre os dois domínios, promovendo um ambiente de colaboração e crescimento mútuo.

“A IA não compete com a nossa criatividade, pelo contrário, ela possibilita que consigamos fazer novas coisas com o seu uso, amplificando nossa criatividade", destacou Millman.

Compartilhar:

Colunista

Colunista Marcel Nobre

Marcel Nobre

Marcel Nobre é empreendedor, pesquisador, palestrante, TEDx Speaker e professor de inovação, tecnologias, IA, liderança e educação. Graduado em Administração de Empresas pela FEI, possui MBA em Gestão Empresarial pela FIA/USP, além de especializações em Letramento em Futuros, Neurociência e Metaverso. É fundador e CEO da BetaLab, uma edtech inovadora, e atua como professor na HSM/Singularity, FIA Business School, Startse e Belas Artes, além de ser mentor de Startups pela Ace Startups.

Artigos relacionados

Imagem de capa Blockchain e gestão pública: um match interessante

Transformação Digital

22 Abril | 2024

Blockchain e gestão pública: um match interessante

Você sabia que o uso de blockchain promove maior sustentabilidade e pode ajudar na redução do consumo de energia?

Matheus Laupman

5 min de leitura

Imagem de capa Estuarine Mapping: qual tipo de planejamento estratégico você quer produzir?

Transformação Digital

21 Março | 2024

Estuarine Mapping: qual tipo de planejamento estratégico você quer produzir?

Para mostrar e desvendar as dificuldades de pré-análise de uma questão, Alexandre Magno traz o Estuarine Mapping para transformar seus negócios

Alexandre Magno

4 min de leitura