fb-embed

2 min de leitura

Vale Ocidental

22 de Janeiro

Compartilhar:
Artigo Vale Ocidental

Um até breve!

O final do ano foi uma grande loucura (boa, por sinal) em minha vida profissional e pessoal. Algumas coisas começaram a acontecer muito rápido e tive que trabalhar mais do que normalmente trabalho, acordando às 4h da manhã e passando facilmente das 12 horas trabalhadas diariamente. Com isso, várias atividades tiveram que ficar um pouco para trás, e uma delas foi minha coluna Vale Ocidental. Por isso, já começo com um pedido de desculpas aos leitores!

 Um dos principais acontecimentos foi minha realocação. Acabei saindo do tão sonhado Vale do Silício – um dos meus lugares favoritos do mundo – para ir atrás dos meus sonhos e oportunidades em Boston, isso mesmo, na outra costa! Literalmente coloquei minha casa no porta-malas do carro e dirigi 7 mil quilômetros até chegar a essa cidade que vem me impressionando mais a cada dia. Posso dizer que não está sendo uma mudança fácil, mas, nas palavras de Frank Sinatra, “Se você possui alguma coisa, mas não consegue entregá-la, então você não possui… ela possui você”.

Para quem está matutando o que está acontecendo, posso dizer o seguinte: estou começando uma empresa nova, do zero. Tudo ainda está no começo, então não posso falar muito. Prefiro baixar a cabeça e trabalhar, mas posso dizer que tenho a convicção de que será algo de grande feito e que provavelmente terá um impacto na humanidade (ficou bom esse pitch, hein?). 

A propósito, nesse meio tempo tenho aprendido a “arte de fazer o pitch” e como conduzir conversas com investidores. Nas últimas semanas, passei um período em Hong Kong, conversei com pessoas de alto calibre de todo o mundo e pesquisadores internacionalmente reconhecidos, e posso dizer que quanto mais você trabalha, melhor fica. Se existisse uma fórmula do sucesso ela seria: trabalhar, errar, trabalhar, errar, trabalhar… até acertar.

Como me dedico mais do que 100% em tudo que me envolvo para fazer acontecer, quando vejo que não estou conseguindo me dedicar como deveria prefiro colocar o projeto em suspenso, até que o calendário volte ao normal e eu consiga retomar. Por isso, decido me despedir da coluna com um até breve, pois tenho certeza de que ainda teremos muitos encontros, principalmente depois que essa loucura passar. 

Dito isso, me coloco à disposição de qualquer pessoa que esteja na fase de começar um negócio, pensar em ideias mirabolantes ou até mesmo de quem precisa de um ombro amigo para conversar sobre assuntos diversos, principalmente aos empreendedores que seguem essa vida maluca e solitária. 

Desejo muita sorte, felicidade, saúde e sucesso a todos vocês e que 2020 seja um ano de muita transformação em nossas vidas and please keep in touch!

Hasta luego!

Compartilhar:

Autoria

Artigos relacionados

Imagem de capa Quais os passos para criar empresas renovadoras?

Gestão de pessoas

22 Maio | 2024

Quais os passos para criar empresas renovadoras?

Precisamos falar sobre o esgotamento que a produção incessante e sem propósito está fazendo com que mais da metade da população adoeça.

Carol Olinda

6 min de leitura

Imagem de capa Por onde percorre o entendimento de people analytics?

Gestão de pessoas

22 Maio | 2024

Por onde percorre o entendimento de people analytics?

Não cabe mais só fazermos decisões com base na intuição, por isso, é necessário reconhecer que tipo de compreensão sobre people analytics estamos criando!

Galo Lopez

5 min de leitura

Imagem de capa Qual a forma mais eficaz de gerar conexão entre as gerações dentro da sua empresa?

Liderança, times e cultura

20 Maio | 2024

Qual a forma mais eficaz de gerar conexão entre as gerações dentro da sua empresa?

Afim de tentar criar uma conexão entre gerações, um evento corporativo também pode ser oportunidade de construir este elo entre colaboradores e é isso que Alexandre Cunha e Gustavo Ayres contam para nós neste relato.

Gustavo Ayres e Alexandre Cunha

3 min de leitura

Imagem de capa Como será o mercado de trabalho nos próximos anos: jovens trabalhando lado a lado dos mais velhos?

Gestão de pessoas

20 Maio | 2024

Como será o mercado de trabalho nos próximos anos: jovens trabalhando lado a lado dos mais velhos?

O olhar pela questão etária sempre precisa ser algo mais atento e que consiga prever os estranhamentos que podem acontecer em nosso trabalho, afinal, a diversidade está também nesse olhar das necessidades distintas que cada geração possui em determinado momento.

João Roncati

3 min de leitura