fb-embed

4 min de leitura

Transformação digital: pilares e fatores críticos de sucesso

Segundo o IDC, mais de sete trilhões de dólares serão investidos em transformação digital até 2023. E se o tema já tinha relevância no mundo pré-Covid-19, agora então ele passa a ser condição de sobrevivência. Como trilhar os caminhos da reinvenção digital?

Claudia Muchaluat

26 de Maio

Compartilhar:
Artigo Transformação digital: pilares e fatores críticos de sucesso

Na era da economia digital, a maioria das empresas já estava trilhando sua jornada de transformação, cada uma no seu estágio e com um nível de maturidade distinto. 

Os desafios trazidos pelo novo coronavírus aceleraram essa transformação como elemento fundamental para que as empresas possam sobreviver, exigindo adaptação e preparo para participarem das oportunidades que surgirão no cenário pós-pandemia.

Tendências da transformação digital

Em função da conveniência que o consumidor final está demandando e da sua mudança de comportamento, ecossistemas estão sendo abertos e integrados. 

A tendência é não haver fronteiras entre indústrias e setores. Isso permite a geração de valor via integração de plataformas abertas para melhor atender o cliente, por meio da reinvenção digital dos ecossistemas.

Segundo o IDC, 7,4 trilhões de dólares serão investidos mundialmente na transformação digital até 2023. Para quem ainda precisa trilhar este caminho, a dica é focar nos três pilares da transformação digital:

1. Experiência do cliente

É fundamental repensar todo o negócio com foco no cliente, entendendo as personas e avaliando as jornadas para revisitar a estratégia de go-to-market e criar uma experiência superior. 

O sucesso estará na capacidade de atender esse cliente cada vez mais exigente, mais conectado, com maior poder de barganha e mais influente. 

E, ao longo da jornada, oferecer uma experiência diferenciada, que seja personalizada, intuitiva e consistente inclusive no omnichannel.  

2. Excelência operacional

Para otimizar a operação atual e acelerar o crescimento, deve-se redesenhar as cadeias de valor usando ferramentas digitais e soluções cognitivas. 

Com isso, benefícios financeiros são gerados para dar suporte à reinvenção digital, automatizando e reconstruindo os processos para garantir níveis de serviço com escalabilidade e processos autossustentáveis dentro da organização.

3. Expansão do ecossistema

Para gerar inovação, cria-se um ecossistema escalável com vantagem competitiva e monetização a partir do ganho de escala. 

Um exemplo é o modelo do WeChat na China, do grupo Tencent. O cliente atende, em um só lugar, praticamente todas as suas necessidades - transações financeiras, socialização, entretenimento, alimentação, locomoção, entre outras. 

É como se fosse uma combinação de WhatsApp com Amazon, Netflix, Paypal, Uber, Spotify, Slack, Facebook, Instagram, Twitter e muito mais. 

Critérios para garantir o sucesso com a transformação digital

O sucesso dos programas de transformação digital é recompensador por permitir atingir lucratividade, crescimento da receita e valor de mercado superiores. 

Porém, estudos da McKinsey apontam que 70% dos programas de transformação ainda falham. 

Para maximizar as chances de uma boa execução, existem pelo menos três critérios importantes a serem avaliados pelos líderes das organizações: 

1. Cultura ágil, engajamento do top management e growth mindset

Garantir a mentalidade de inovação, aceitar o fail fast como um caminho para aprender mais rápido ainda e conseguir escalar, ter a “temperatura correta” do que está acontecendo.

Também é preciso criar ambientes seguros para que o time tenha coragem para experimentar e seguir aprendendo com a velocidade necessária. Lembre-se: feito é melhor que perfeito!

2. Agenda de inovação colaborativa que seja aderente ao DNA da empresa e ao seu propósito

O entendimento dos fatores que impulsionam a empresa a inovar é decisivo para tratar cada iniciativa de inovação no horizonte correto, nutrindo-a da maneira apropriada, e garantindo continuidade de alocação de recursos em momentos de dúvidas (tornam-se mais frequentes no contexto da crise). 

Essa inovação tem que trazer valor ao negócio e ter impacto no mundo e na sociedade. E deve ser aberta para ser potencializada colaborando e cocriando com outras empresas numa visão de orquestração dos players do ecossistema. 

3. Neutralizar estrutura organizacional em silos

É importante ter a visão horizontal e integrada associando incentivos ao que é disruptivo e onde a empresa quer garantir foco e velocidade na execução. 

A transformação digital deve permear toda a empresa e não pode ser tratada como responsabilidade de apenas uma unidade de negócios ou como um projeto. 

Tecnologia, processos e pessoas na transformação digital

As cadeias de valor devem ser redesenhadas, incluindo não apenas o pilar de tecnologia, mas também os pilares de processos e pessoas. 

As organizações precisam revisitar seus processos - tendo o cliente no centro da jornada - entregar a experiência, mudar a cadeia de valor e escalar. 

Esse ciclo tem que ser alimentado de forma contínua e com inovação exponencial, criando uma maneira mais inteligente de fazer negócios, que permitirá uma melhor sustentabilidade da empresa no futuro.

Em momentos de crise, o importante é dar o primeiro passo. As empresas que já iniciaram essa jornada para digitalização foram menos impactadas. 

Como você está provocando a discussão de inovação na sua empresa para buscar soluções para problemas de negócio existentes? 

Que novos modelos de negócio estão sendo viabilizados com tecnologias exponenciais colocando a experiência do cliente no centro e construindo novos produtos/serviços para melhorar cada vez mais essa experiência?

E quando a vida voltar ao “novo normal”, como sua empresa estará preparada?

Compartilhar:

Autoria

Claudia Muchaluat

Partner da Consultoria na IBM e suporta clientes em suas jornadas de transformação digital.

Artigos relacionados

Imagem de capa Inteligência Artificial e Gestão de Pessoas: como incorporar essa realidade nas empresas sem desumanizá-la?

Gestão de pessoas

10 Julho | 2024

Inteligência Artificial e Gestão de Pessoas: como incorporar essa realidade nas empresas sem desumanizá-la?

A IA está revolucionando o setor de pessoas e cultura, oferecendo soluções que melhoram e fortalecem a interação humana no ambiente de trabalho.

Fernando Ferreira

6 min de leitura

Imagem de capa Um segredo bem guardado das "purpose-first"

Empreendedorismo

06 Julho | 2024

Um segredo bem guardado das "purpose-first"

As empresas familiares são cruciais para o País por sua contribuição econômica e, nos dias atuais, por carregarem legado e valores melhor do que corporations. Mas isso só ocorre quando está estabelecido o reconhecimento simbólico dos líderes de propósito que se vão...

Luis Lobão

10 min de leitura

Imagem de capa Executivos descrentes, colaboradores confusos e estratégias falhas: é preciso organizar a “casa”

Empreendedorismo

04 Julho | 2024

Executivos descrentes, colaboradores confusos e estratégias falhas: é preciso organizar a “casa”

A efetividade das estratégias empresariais é frequentemente comprometida pela falta de alinhamento, comunicação e priorização, resultando em descrença e baixa implementação, com apenas 3% dos executivos confiando no sucesso das suas estratégias.

Athila Machado

4 min de leitura