fb-embed

3 min de leitura

Pets e saúde mental nas empresas

Jonathan Pirovano

30 de Setembro

Compartilhar:
Artigo Pets e saúde mental nas empresas

O tema em torno da saúde mental e como agir em prol dela, sobretudo no ambiente de trabalho, tem prevalecido midiaticamente, em veículos segmentados de negócio e gestão de pessoas. Especialmente no Brasil, país onde a cada dez brasileiros, nove possuem algum tipo de ansiedade.

E a estatística é ainda mais assustadora: dessa parcela, quase a metade – 47% – possui algum nível de depressão, de acordo com pesquisa divulgada pelo International Stress Management Association. Além de impactar negativamente a vida privada dessas pessoas, também abala as estruturas profissionais e dos negócios. Em 2018, o Ministério da Previdência Social havia divulgado que indivíduos com algum tipo de estresse ficavam até 100 dias longe do trabalho para buscarem tratamento. 

Seja ansiedade, depressão, estresse ou síndromes como burnout, o fato é que as pessoas estão com algum tipo de problema que as afeta. Cientes disso, muitos gestores têm se preocupado em pensar em estratégias para ajudar colaboradores a enfrentar esses desafios. E a simples presença de pets nas empresas tem sido um dos recursos utilizados para deixar o ambiente menos pesado e mais alegre, além de auxiliar nas pausas tão necessárias que os colaboradores podem e devem fazer. 

O bem que os pets fazem no ambiente de trabalho

Não é só o grau de fofura que ajuda: está cientificamente comprovado que a presença e permanência de cachorros, gatos ou outro tipo de animal estimula as pessoas a se sentirem bem. 

Em um estudo conduzido por especialistas da Clínica Médico-Psiquiátrica da Ordem, em Portugal, com a participação de 80 pacientes com distúrbio depressivo, 33 deles tiveram melhora significativa ao ter contato com pets, associado ao tratamento com terapia e medicamentos sob supervisão médica. Após 12 semanas, aproximadamente um terço deles não possuía mais sinais da doença. 

Por conta de questões como essa, a presença de pets nos ambientes de trabalho vem sendo praticada há alguns anos, com direito até a data. Em 1999, a Pet Sitters International – associação norte-americana com fins profissionalizantes voltada para cuidadores de pets – criou o Take Your Dog to Work Day, ou Dia de levar seu cachorro para o trabalho, em tradução livre. Mas o que antes ficava restrito a um dia do ano, hoje passou a se tornar realidade em muitas empresas, principalmente nas startups.

Na Motoboy.com, por exemplo, um dos membros do nosso time é o Romero, um pug de quatro anos que é a alegria da equipe. Ele participa de vários momentos juntos com os colaboradores. Inclusive, percebemos que a presença dele tem proporcionado momentos de descontração, com a equipe querendo tirar fotos com ele, o abraçando e curtindo sua companhia, principalmente nos dias de maior estresse. Com certeza afeta positivamente a produtividade, ao mesmo tempo em que possibilita momentos de maior integração entre todos. 

Outra empresa que resolveu adotar um pet pra chamar de seu é a Asaas. A cadelinha Asinha chegou na empresa há pouco tempo, mas já conquistou os colaboradores. Ela recebeu o cargo de Analista de Felicidade Jr., faz parte do organograma da empresa e tem até folha de pagamento. Os benefícios já foram sentidos logo nos primeiros dias da chegada da Asinha na fintech.

Lá, os colaboradores estão mais felizes, disputam a atenção da cadelinha e ainda esperam ansiosamente para poder levá-la para casa nos fins de semana. Além de promover o bem-estar dentro da empresa, a chegada da cadelinha foi uma maneira de incentivar a adoção de animais, uma das causas da empresa. 

Para atrair e reter talentos, é preciso enxergar nos colaboradores mais que números ou funções, mas o ser humano que são. Incorporar ao dia a dia outro ser vivo, que se torna a alegria de todos, pode ser um fator para aumentar o sentimento de união em busca de um objetivo: manter o negócio no caminho certo.

Compartilhar:

Autoria

Jonathan Pirovano

CEO da Motoboy.com

Artigos relacionados

Imagem de capa É possível manter diferentes gerações em sintonia no ambiente corporativo

Gestão de pessoas

25 Junho | 2024

É possível manter diferentes gerações em sintonia no ambiente corporativo

Gerir eficazmente essas diferenças é crucial para evitar conflitos e fomentar um ambiente de trabalho dinâmico e inovador. Aproveitar as forças únicas de cada geração é a chave para o sucesso e sustentabilidade no mercado competitivo. Sua equipe está explorando todo esse potencial?

Juliana Dorigo

4 min de leitura

Imagem de capa Um olhar sobre o futuro  da juventude brasileira é  um olhar sobre propósito

Diversidade

25 Junho | 2024

Um olhar sobre o futuro da juventude brasileira é um olhar sobre propósito

Afinal, em qual lugar você está na fila do Fim do Mundo?

Gustavo Rosa

2 min de leitura

Imagem de capa O Papel da inovação na construção de um RH estratégico

Inovação

24 Junho | 2024

O Papel da inovação na construção de um RH estratégico

Líderes de RH enfrentam o desafio de se reinventar para manter relevância e conexão estratégica em um cenário de rápidas mudanças tecnológicas e de mercado. Já pensou que a inovação em cultura organizacional e tecnologia emerge como aliada essencial?

Luciana Leão

4 min de leitura

Imagem de capa Inovação não é sobre criar castelos no ar. É sobre renovar padrões de desempenho

Empreendedorismo

22 Junho | 2024

Inovação não é sobre criar castelos no ar. É sobre renovar padrões de desempenho

A inovação transforma a performance, otimizando processos e modernizando tecnologias. No entanto, durante crises, a inovação é essencial para a prosperidade pós-crise. A estratégia de inovação deve ser clara e contínua, alinhando-se à visão de longo prazo da empresa, como demonstrado pelos CVCs.

Felipe Novaes

5 min de leitura

Imagem de capa Por que o propósito é uma chave para a economia digital

Reportagem

20 Junho | 2024

Por que o propósito é uma chave para a economia digital

O Dossiê 163 já está no ar! Este é o primeiro texto dele, feito pela Adriana Salles, em que discute complexidade, incertezas e velocidade nas empresas. Afinal, exigem que boas decisões sejam tomadas nas pontas – e levem em conta o futuro...

HSM Management

11 min de leitura