fb-embed

2 min de leitura

Para além dos desejos de ano novo

Reflita, repense e fale sobre o futuro que você espera

Colunista Viviane Mansi

Viviane Mansi

30 de Dezembro

Compartilhar:
Artigo Para além dos desejos de ano novo

Ano novo chegando, clima de instabilidade ainda pairando no ar e é natural que comecemos a pensar sobre o que (ou como) será o futuro. É comum passarmos por um momento de apreensão ou ansiedade. A depender de como foram os últimos meses – fáceis ou difíceis – também teremos uma opinião sobre o quão positivo esse futuro pode ser. 

O que é certo é que temos, sim, algum controle sobre diversas coisas que virão pela frente. Resta saber se estamos usando todas as nossas ferramentas (e nossos brinquedos, pra não esquecer as recomendações preciosas do nosso saudoso Rubem Alves) para criar o futuro que se aproxima. 

Como faz?

  • Reflita sobre que futuro é esse 

Sem essa imagem bem desenhada na cabeça, fica difícil chegar lá. Para ficar mais tangível, vale lembrar de bons momentos que vivemos, de momentos que nos trouxeram uma sensação de plenitude, alegria, satisfação. Faça esse exercício com tranquilidade, pois a vida se constrói no miúdo e todos nós temos essas memórias. 

  • Repense o que você tem feito para chegar lá

É preciso lançar mão da autoconsciência sobre a nossa própria jornada e sobre como nossas decisões impactam os outros. Pode ser (espero que não seja o seu caso) que a gente se pegue reclamando de um monte de coisa que está fora do lugar, mas as reclamações não estão no “canal” adequado para permitir que tudo entre nos eixos (reclamar da empresa só para os amigos, por exemplo, não desencadeará nenhuma mudança, por exemplo)

  • Fale sobre o futuro que você espera (o item que eu considero mais relevante)

Quando a empresa diz que está planejando o futuro, aproveite para compartilhar o que deu certo e você gostaria que fosse mantido. Fale também sobre o que ajudou você a ter boas ideias. Inclua nessa sua fala algumas sugestões sobre o que pode ser mudado. Na liderança, tomamos decisões com base nas informações que a gente tem. Então, quando os times falam, dão contexto, compartilham ideias e preferências, a gente tenta acomodar a maior parte possível das demandas. Palavras constroem mundos, repito sempre.

Para finalizar, desejo que o futuro que já se avizinha seja generoso com todos nós e nos traga bons momentos de tranquilidade, leitura, jantares do núcleo familiar, caminhadas isoladas e tudo o mais que pudermos fazer tirando o melhor possível da reclusão que a gente vive.

Compartilhar:

Colunista

Colunista Viviane Mansi

Viviane Mansi

Viviane Mansi

Viviane Mansi é executiva, conselheira e professora. Está atualmente na Diageo e passou por empresas como Toyota, GE, Votorantim e MSD. É coautora de Emoção e Comunicação – Reflexão para humanização das relações de trabalho.

Artigos relacionados

Imagem de capa A inevitável transição do People Analytics para o People Intelligence

Liderança, times e cultura

11 Abril | 2024

A inevitável transição do People Analytics para o People Intelligence

O cenário é de rápidas transformações e uma coisa é certa: a IA chegou para ficar e as companhias precisam absorvê-la e usá-la a seu favor. Por isso, é hora de estar preparado para usar isso com inteligência.

Ivan Cruz

5 min de leitura

Imagem de capa A cultura data driven acelera a transformação digital

Liderança, times e cultura

10 Abril | 2024

A cultura data driven acelera a transformação digital

É necessário compreender como empresas estão alcançando crescimento acima de 30% ao ano através de uma cultura analítica madura. Aprenda com casos reais de empresas que transformaram seus negócios com estratégias orientadas por dados nas tomadas de decisão.

Denys Fehr

7 min de leitura

Imagem de capa Além da liderança: o papel estratégico dos executivos C-level na era da automação

Gestão de pessoas

08 Abril | 2024

Além da liderança: o papel estratégico dos executivos C-level na era da automação

A automação cada vez mais faz parte de nosso cotidiano e a liderança precisa acompanhar este movimento: muito além da produção, muito além das lideranças que conhecemos.

Renan Salinas

3 min de leitura

Imagem de capa Qual a chave para uma boa tomada de decisão?

Gestão de pessoas

05 Abril | 2024

Qual a chave para uma boa tomada de decisão?

Cada vez mais será necessário exercermos nosso pensamento crítico diante das experiências cotidianas. Mas você sabe o que é isso, necessariamente? Sabe não cair no julgamento?

Galo Lopez

2 min de leitura