fb-embed

4 min de leitura

Os impactos do coronavírus no comportamento online

Março de 2020 será lembrado para sempre na história da humanidade. A pandemia do COVID-19 colocou em poucas semanas um terço da população mundial em isolamento social.

Daniela Schermann

13 de Abril

Compartilhar:
Artigo Os impactos do coronavírus no comportamento online

As empresas estão tendo que se adaptar às transformações a todo momento. 

Além das mudanças impostas pelo trabalho em modelo home-office, tiveram que refazer seus planejamentos, repensar as saídas de caixa, cuidar de seus funcionários, entender as novas necessidades dos seus clientes e diversos outros impactos que o coronavírus impôs de uma hora para outra.

Um dos grandes desafios, no entanto, é compreender os impactos do coronavírus nos hábitos de compra e consumo. 

O Opinion Box realizou uma pesquisa com mais de 2.000 consumidores de todo o país para entender essas mudanças de hábito e comportamento. 

Vou apresentar para você cinco dados que me chamaram a atenção voltados especialmente para o comportamento online:

1. Consumo de vídeos, filmes e séries

O confinamento deixa as pessoas mais tempo sozinhas. Muitas delas estão sem trabalhar. É natural que o consumo de mídia online aumente bastante neste período. 

De acordo com a pesquisa, 42% estão vendo mais vídeos no YouTube do que costumavam ver antes da quarentena.

O crescimento de usuários nas plataformas pagas de streaming não foi tão grande no período - apenas 5% - mas, entre os usuários, 46% afirmam que estão usando mais os aplicativos como Netflix, HBO GO, Globo Play etc. 

Entre os serviços de streaming gratuitos, 41% afirmam que estão consumindo mais. 

É interessante notar que não apenas o consumo online cresceu. 41% estão vendo mais TV paga e 34% aumentaram o tempo vendo TV aberta. 

2. Redes sociais, notícias e internet

48% dos entrevistados afirmaram que estão mais ansiosos e 49% estão mais entediados. Totalmente natural que esse seja um dos impactos do coronavírus. Em um período de incertezas, insegurança e isolamento, é difícil ficar tudo bem. 

É totalmente natural também que, neste cenário, as pessoas passem mais tempo online. 6 em cada 10 entrevistados afirmaram que estão passando mais tempo na internet. 53% estão acessando mais as redes sociais e 49% estão mais tempo no WhatsApp.

Além disso, 32% passaram a jogar jogos online. São pessoas que não jogavam mas que, durante o confinamento, estão jogando na web ou em aplicativos. 

Por fim, 58% estão lendo mais notícias, seja online ou offline.  

3. Os impactos do coronavírus nas compras online

Muitas cidades e capitais já estão com o comércio fechado há alguns dias. Além disso, o medo de sair na rua e se contagiar tem feito as pessoas evitarem até mesmo ir ao supermercado ou à padaria. 

As comprar online, portanto, têm sido um grande aliado do consumidor. Mas dá para perceber também que as prioridades mudaram. 

Enquanto os usuários de compra online de supermercado cresceram 25% e os de farmácia online 17%, os de roupas e acessórios, por exemplo, caíram 4%.Já os serviços de delivery, que eram uma grande aposta para manter ativos os bares e restaurantes, cresceram apenas 4% o número de usuários. 

4. Coronavírus e o ensino a distância

O mercado de educação foi um dos que mais sentiu os impactos do coronavírus. Escolas e universidades tiveram que fechar as suas portas para evitar aglomerações. 

Alguns cursos conseguem se adaptar e levar suas aulas para o ambiente online. 15% dos entrevistados estão fazendo online cursos que antes faziam presencialmente.

Além disso, para aproveitar o tempo, 18% começaram um curso novo online. As plataformas online de ensino a distância tiveram um crescimento de 18% no número de usuários desde o início da pandemia. Além disso, entre os usuários, 36% estão usando mais do que utilizavam. 

5. Os impactos do coronavírus na qualidade da internet

De uma hora para outra, milhões de brasileiros começaram a trabalhar de suas residências, realizando videoconferências para manter o time conectado. Os dados da pesquisa dizem que 26% estão trabalhando em home office. 

Os que foram forçados a parar de trabalhar e estudar, ficam mais tempo online para ajudar a passar o tempo, ler notícias e ver vídeos e filmes, como mostram os dados acima. 

Além disso, 20% passaram a fazer chamadas em vídeo para falar com familares e amigos e 15% passaram a fazer atividades físicas acompanhando vídeoaulas. 

Com todo esse crescimento no consumo, como fica a qualidade da internet? De acordo com os entrevistados, piorou bastante. 32% sentiram uma queda de qualidade na internet wi-fi e 26% sentiram que a internet móvel piorou.

Mais dados sobre os impactos do coronavírus no comportamento do consumidor

Estes são apenas alguns dos diversos dados sobre os impactos do coronavírus no comportamento do consumidor. 

Para acessar mais informações, baixe o relatório completo da pesquisa e acompanhe o blog do Opinion Box. Toda semana os dados serão atualizados e exclusivos.

Compartilhar:

Autoria

Daniela Schermann

Head de Marketing da Opinion Box

Artigos relacionados

Imagem de capa Como capacitar os chefes para que eles sejam líderes?

Gestão de pessoas

17 Abril | 2024

Como capacitar os chefes para que eles sejam líderes?

A tríplice necessidade de capacitação aos líderes que todo chefe precisa aprender

Samir Iásbeck

3 min de leitura

Imagem de capa Como as estratégias de gestão podem reduzir os custos elevados dos reajustes anuais dos planos de saúde empresariais?

Gestão de pessoas

16 Abril | 2024

Como as estratégias de gestão podem reduzir os custos elevados dos reajustes anuais dos planos de saúde empresariais?

Entenda os impactos e estratégias para garantir a sustentabilidaded dos planos de saúde, que devem aumentar em até 25% neste ano.

Katia De Boer

5 min de leitura

Imagem de capa Aerofólios, back office e diferenciação competitiva

Gestão de pessoas

15 Abril | 2024

Aerofólios, back office e diferenciação competitiva

Você sabe qual foi a revolução do aerofólio na Fórmula 1? Imagina de que maneira podemos utilizar esta lógica para a diferenciação no empreendedorismo? É essa reflexão que Valter Pieracciani nos convida a fazer em seu novo texto para a HSM Management.

Valter Pieracciani

3 min de leitura

Imagem de capa A inevitável transição do people analytics para o people intelligence

Liderança, times e cultura

11 Abril | 2024

A inevitável transição do people analytics para o people intelligence

O cenário é de rápidas transformações e uma coisa é certa: a IA chegou para ficar e as companhias precisam absorvê-la e usá-la a seu favor. Por isso, é hora de estar preparado para usar isso com inteligência

Ivan Cruz

5 min de leitura

Imagem de capa Como a cultura data-driven acelera a transformação digital

Liderança, times e cultura

10 Abril | 2024

Como a cultura data-driven acelera a transformação digital

É necessário compreender como empresas estão alcançando crescimento acima de 30% ao ano através de uma cultura analítica madura. Aprenda com casos reais de empresas que transformaram seus negócios com estratégias orientadas por dados nas tomadas de decisão.

Denys Fehr

7 min de leitura