fb-embed

5 min de leitura

O propósito como investimento estratégico nas empresas

Ana Carolina Souza

31 de Julho

Compartilhar:
Artigo O propósito como investimento estratégico nas empresas

Propósito. Eis um termo que tem sido cada vez mais discutido por profissionais de diferentes áreas. Se de um lado, consultores e coaches dedicam-se diariamente a ajudar pessoas a identificarem qual seria o seu propósito de vida, do outro, grande parte das organizações seguem ainda à margem dessa discussão. Mas o que seria o propósito, e por que as organizações deveriam se preocupar mais com este tema?

Propósito segundo a neurociência

Mais do que um simples modismo, a discussão que permeia o entendimento real do propósito de cada organização está associada a aspectos muito básicos do comportamento humano. De acordo com o psicólogo americano William James, o melhor que podemos fazer de nossas vidas é empregá-la em alguma coisa mais duradoura que a própria vida. É justamente este o sentido do propósito, que seria a necessidade natural que todos temos de fazer parte de “algo maior”. 

Do ponto de vista da neurociência, quando falamos de propósito estamos falando de inclusão. Como animais sociais, pertencer a um grupo é capaz de ativar no nosso cérebro diferentes áreas do Sistema Motivacional Apetitivo, que juntas favorecem aspectos ligados ao processo criativo, à empatia, à comunicação e à tomada de decisão. A partir do compartilhamento de crenças, valores e opiniões, o propósito permite a criação de uma identidade para o grupo, o que aumenta a confiança e favorece o relacionamento entre as pessoas da equipe. Este processo impacta diretamente a qualidade de vida dos colaboradores, sua saúde, seu engajamento, e inclusive sua produtividade.

O propósito organizacional

Liderar o processo de inovação tecnológica, levar o homem à lua, apoiar o desenvolvimento de produtores locais, batalhar pela inclusão e diversidade ou defender o direito à alimentação saudável para toda e qualquer criança são todas formas válidas de vivenciar o propósito organizacional. 

A grande questão é: como organização, qual é o seu propósito? 

A resposta para essa pergunta guarda a chave de sucesso para muitas empresas. O propósito organizacional diz respeito à maneira como a empresa pretende impactar a sociedade, de preferência de forma única e autêntica. Este movimento dá significado à existência do próprio negócio e se conecta intimamente com a razão de ser dos indivíduos que interagem com esta organização, incluindo parceiros, colaboradores e consumidores. É justamente este alinhamento que garante uma maior eficiência em todos os processos descritos anteriormente.

O peso do propósito em organizações de sucesso

Agindo como um elemento propulsor, o propósito é importante para uma organização ao longo de toda trajetória. Entretanto, para que tenha resultados, é importante que o propósito seja verdadeiro, e que consiga ser comunicado de maneira consistente e eficiente. Nesse sentido, as organizações precisam fazer um exercício de olhar para dentro e descobrir quais são seus verdadeiros valores e, o mais importante, qual a sua “razão de existir”. 

Este exercício faz parte de uma atuação estratégica da empresa e por isso não deve ser tratado de forma pontual ou isolada. A expectativa é que o propósito impacte a organização como um todo; por isso, é fundamental envolver a liderança e as áreas de desenvolvimento humano como forma de garantir uma atuação transparente e coerente. As empresas movidas por propósito possuem o foco nas pessoas e desenvolvem diferentes ações em diversas áreas como recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, liderança, comunicação interna e no desenvolvimento de produtos e serviços. Neste modelo, o lucro passa a ser visto como uma consequência de um envolvimento genuíno com o que identificamos como a razão de existir da organização. E ao que tudo indica, este modelo funciona.

Segundo dados da pesquisa People on a mission do Instituto Korny Ferry, publicado em 2016, empresas com propósito claro chegam a crescer até 3 vezes mais do que seus pares de mercado.  Neste mesmo estudo, mostrou-se que as empresas que comunicam seu propósito de forma clara obtêm performances financeiras melhores em até 17%. Além disso, a gigante Unilever anunciou este ano que suas Sustainable Living Brands, marcas lideradas por propósitos sociais ou ambientais, estão crescendo 69% mais rápido do que o resto do negócio e gerando 75% do crescimento para empresa. 

De acordo com Alan Jope, CEO da Unilever, dois terços dos consumidores em todo o mundo dizem que escolhem marcas por sua posição em questões sociais, e mais de 90% dos millennials dizem que trocariam marcas por uma causa.

O propósito organizacional permite um compartilhamento genuíno de valores entre pessoas que estão dentro e fora da organização. Esse processo no nosso cérebro gera um padrão de aproximação, que se relaciona com a sensação de pertencimento e a construção do que chamamos de suporte social, e é considerado um padrão emocional muito forte para espécies sociais como a nossa.  

Mas, não basta escrever o propósito organizacional na parede, ou criar uma ótima campanha publicitária. Quando falamos de propósito, é fundamental que a prática esteja alinhada ao discurso, ou o mesmo não terá impacto.

Muitas vezes o propósito organizacional já foi identificado, mas talvez não esteja sendo bem comunicado ou a liderança da empresa não sustenta seu discurso de maneira coerente. É importante para a organização, portanto, estar atenta à maneira como este propósito é vivido pelas pessoas diariamente e zelar pela manutenção de uma cultura forte alinhada aos seus valores. 

O propósito organizacional serve como um ponto de partida para criação de uma cultura forte e seu entendimento agirá como base para definição dos valores, crenças e das estratégias que serão utilizadas pela organização. Isso tudo irá influenciar a maneira como as pessoas irão interagir umas com as outras diariamente, fazendo com que o discurso ganhe vida.

O propósito organizacional se mostra a cada dia uma estratégia capaz de garantir que todos os elementos que compõe uma empresa se mantenham alinhados ao redor de um objetivo comum, trazendo maior eficiência em todos os processos. Ele cria relacionamentos estáveis, promove a fidelidade de colaboradores e clientes, e é capaz de fazer com que cada pessoa apareça todos os dias para trabalhar, dispostas a darem o seu melhor para a organização e é por isso que as organizações orientadas por um propósito claro estão tendo tanto sucesso num ambiente empresarial tão desafiador como o de hoje.

Compartilhar:

Autoria

Ana Carolina Souza

Neurocientista e Sócia da Nêmesis

Artigos relacionados

Imagem de capa Como capacitar os chefes para que eles sejam líderes?

Gestão de pessoas

17 Abril | 2024

Como capacitar os chefes para que eles sejam líderes?

A tríplice necessidade de capacitação aos líderes que todo chefe precisa aprender

Samir Iásbeck

3 min de leitura

Imagem de capa Como as estratégias de gestão podem reduzir os custos elevados dos reajustes anuais dos planos de saúde empresariais?

Gestão de pessoas

16 Abril | 2024

Como as estratégias de gestão podem reduzir os custos elevados dos reajustes anuais dos planos de saúde empresariais?

Entenda os impactos e estratégias para garantir a sustentabilidaded dos planos de saúde, que devem aumentar em até 25% neste ano.

Katia De Boer

5 min de leitura

Imagem de capa Aerofólios, back office e diferenciação competitiva

Gestão de pessoas

15 Abril | 2024

Aerofólios, back office e diferenciação competitiva

Você sabe qual foi a revolução do aerofólio na Fórmula 1? Imagina de que maneira podemos utilizar esta lógica para a diferenciação no empreendedorismo? É essa reflexão que Valter Pieracciani nos convida a fazer em seu novo texto para a HSM Management.

Valter Pieracciani

3 min de leitura

Imagem de capa A inevitável transição do people analytics para o people intelligence

Liderança, times e cultura

11 Abril | 2024

A inevitável transição do people analytics para o people intelligence

O cenário é de rápidas transformações e uma coisa é certa: a IA chegou para ficar e as companhias precisam absorvê-la e usá-la a seu favor. Por isso, é hora de estar preparado para usar isso com inteligência

Ivan Cruz

5 min de leitura

Imagem de capa Como a cultura data-driven acelera a transformação digital

Liderança, times e cultura

10 Abril | 2024

Como a cultura data-driven acelera a transformação digital

É necessário compreender como empresas estão alcançando crescimento acima de 30% ao ano através de uma cultura analítica madura. Aprenda com casos reais de empresas que transformaram seus negócios com estratégias orientadas por dados nas tomadas de decisão.

Denys Fehr

7 min de leitura