fb-embed

Gestão de pessoas

2 min de leitura

Gamificação pode ser uma ajuda (sem volta) no processo de liderança

Uns dos principais desafios no ambiente corporativo são o engajamento e a motivação. Ferramentas gamificadas podem ser ótimos recursos para melhor a produtividade e o sentimento de pertencimento dos colaboradores

Colunista Thiago Gomes

Thiago Gomes

05 de Julho

Compartilhar:
Artigo Gamificação pode ser uma ajuda (sem volta) no processo de liderança

Liderar é importante e é inspirador, mas sabemos que na vida real não é igual a um filme. Não será papel do líder somente estimular o time, ele precisa fazer gestão de pessoas e processos. Esse papel é complexo e, na maioria das vezes, permeado por burocracias, o que pode fazer com que a liderança se afaste, e torne secundário esse processo que é fundamental para o andamento do trabalho e engajamento do time. Acredito que estes sejam uns dos principais desafios no ambiente corporativo hoje: engajar e motivar esse líder.

Para conquistar esse objetivo, uma das maneiras mais efetivas para as empresas é implementar estratégias de gamificação. Auxiliar o gestor no processo de liderança por meio de ferramentas gamificadas é um caminho tão efetivo, que o considero sem volta.

Várias pesquisas comprovam os benefícios dessa estratégia. Li recentemente no estudo “Top gamification statistics of 2023: Next level gaming” que 95% dos profissionais se sentem inspirados e motivados quando há gamificação nos processos de trabalho, enquanto 89% das pessoas almejam completar os módulos de conhecimento ao utilizarem estas ferramentas no ambiente corporativo.

Aumento no engajamento e motivação, melhorias na produtividade, na sensação de pertencimento e na aquisição de novas habilidades são algumas das vantagens da gamificação. Ela torna o desenvolvimento da gestão mais leve e até divertido, além de inspirar uma competição saudável entre as lideranças para chegar nos melhores resultados sem existir uma pressão nessa meta.

Para as empresas, o proveito disso é visível, pois as ajudam a traçar metas de maneira clara e deixar mais interessante para seus gestores atingir seus objetivos e manterem-se focados.

Além disso, a motivação do líder reflete-se diretamente em como suas equipes vão responder no dia a dia. De acordo com uma pesquisa da Gallup, ter um gestor cuidadoso com o time e o trabalho é uma das maneiras mais importantes de manter o engajamento. O mesmo levantamento reforça ainda que o gestor tem influência de até 70% na participação ativa dos colaboradores na empresa.

O fato é que o gerenciamento de pessoas não é um trabalho simples, muito menos algo que se faz apenas por meio de discursos motivacionais. É uma atividade árdua e que, no cotidiano, é repleta de pormenores como preenchimentos de atividades, treinamentos, feedbacks e avaliações de desempenhos e, por isso, é essencial que as empresas adotem ferramentas gamificadas para auxiliar o processo de gestão e torná-lo cada vez mais interessante para o próprio gestor. Refletindo assim em sua equipe e em todo o ambiente de trabalho, tornando-o cada vez mais integrado, positivo e até divertido.

Compartilhar:

Autoria

Colunista Thiago Gomes

Thiago Gomes

Thiago Gomes é CEO do Smartleader, plataforma que ajuda departamentos de RH e líderes na gestão de desempenho de suas equipes.

Artigos relacionados

Imagem de capa Pós-carnaval de 2024 promete a chegada de novas tendências ao mercado de trabalho; sua empresa está preparada?

Gestão de pessoas

21 Fevereiro | 2024

Pós-carnaval de 2024 promete a chegada de novas tendências ao mercado de trabalho; sua empresa está preparada?

O pós-carnaval chegou: sua empresa está preparada?

Cecília Barçante

5 min de leitura

Imagem de capa Um mês em defesa da saúde mental – e das mulheres

Gestão de pessoas

24 Janeiro | 2024

Um mês em defesa da saúde mental – e das mulheres

Mapeamento mostra que 10% dos colaboradores de empresas brasileiras, se projetada a amostra, já chegaram a pensar em acabar com a própria vida. Mulheres são maioria. Daí a importância crescente da campanha “Janeiro Branco” nas empresas

Fátima Macedo

3 min de leitura