fb-embed

4 min de leitura

Employer branding: passo a passo para construir uma marca empregadora forte

Maísa Mattedi

12 de Setembro

Compartilhar:
Artigo Employer branding: passo a passo para construir uma marca empregadora forte

Um conceito cada vez mais discutido pelos setores de recursos humanos das empresas é o employer branding, que une RH e marketing. Em português, a expressão quer dizer ‘marca empregadora’, que nada mais é do que a reputação da empresa enquanto lugar para trabalhar, a forma como ela é vista tanto por profissionais que fazem parte do seu time quanto por quem a observa de fora.

 A imagem de uma instituição enquanto empregadora — remuneração, benefícios e oportunidades que oferece, cultura organizacional, clima no ambiente de trabalho — é fundamental para sua capacidade de atração e retenção de colaboradores.

Essas características e iniciativas de uma organização engajam as pessoas, que passam a disseminar suas qualidades e defendê-la. Além de auxiliar na construção e manutenção de defensores da empresa, o employer branding tem impacto positivo na produtividade — quando profissionais se sentem felizes e orgulhosos em relação ao trabalho, naturalmente entregam mais — e ajuda a diferenciar a empresa da concorrência. Quanto mais positiva a imagem da organização, mais facilitada é a atração de profissionais qualificados, reduzindo os recursos investidos no processo de captação de talentos.

As empresas já possuem uma imagem de marca empregadora no mercado naturalmente. A ideia com o employer branding é utilizar aspectos reais da cultura da empresa para deixar claro o que ela tem — verdadeiramente — de melhor, tornando-a atraente para os profissionais que irão se identificar com ela, aumentando desde esse momento a assertividade do processo seletivo. Algumas dicas para implementar estas estratégias são:

Analisar a situação atual da organização

O primeiro passo para melhorar a marca empregadora de uma empresa é um diagnóstico da percepção dos colaboradores sobre o ambiente de trabalho. O ideal é conversar com as pessoas, ouvi-las, e levar em consideração suas percepções. Fazer um estudo de clima organizacional e ter a cultura bem definida, antes de qualquer coisa. Desta forma, a organização consegue compreender o que é importante para que estas pessoas permaneçam nela e o que poderia fazê-las pensar em sair.

Priorizar o funcionário

Depois de ouvir os colaboradores, a empresa deve tentar atender suas necessidades. Eles devem ser vistos como embaixadores da marca empregadora, pois desempenham uma função muito importante na hora de impulsioná-la. Se os funcionários gostam da empresa e admiram seus líderes, transmitem isso naturalmente. Outra dica legal é produzir e compartilhar vídeos e outros conteúdos mostrando o crescimento dos profissionais que atuam na empresa, o que os faz estar aí e como eles se sentem em relação a ela. O employer branding deve ser sempre construído em colaboração com os funcionários, para que seja verdadeiro e transmita de fato os pilares da cultura organizacional.

Criar a página de carreira no site da empresa

O primeiro passo para informar os profissionais sobre o que a empresa faz e as oportunidades de emprego abertas é criar a página de carreiras, também conhecida como ‘trabalhe conosco’. Assim, as informações sobre a cultura organizacional e as vagas disponíveis ficam reunidas em um único local. Ela é essencial para que a estratégia de employer branding seja efetiva.

Divulgar oportunidades em canais diferentes

É preciso definir quem é a sua persona e onde você pode encontrá-la, sabendo que isso pode mudar para cada vaga. Redes sociais, portais focados em carreira, jornais, blogs, eventos… Vale tudo! Isso ajuda a difundir ainda mais a sua marca e atrai mais pessoas para o processo seletivo. A dica bônus aqui é também cuidar da reputação da empresa em sites de avaliação de empresas.

Tratar candidatos com cordialidade

A maneira de abordar os talentos ao longo do processo seletivo é muito importante para gerar engajamento. O segredo para que eles se sintam bem tratados e valorizados é manter uma boa comunicação, dar feedbacks e responder todas as dúvidas que surgirem. Candidatos que foram rejeitados em uma oportunidade específica podem ser contratados posteriormente ou se tornar embaixadores da sua marca também. A mensuração do NPS de candidatos rejeitados traz esse índice e muitos insights sobre melhorias no processo.

Envolvimento com a comunidade

As empresas também devem se preocupar com a comunidade na qual estão inseridas. Para manter um bom relacionamento e atingir as pessoas em geral, é essencial participar de projetos sociais, patrocinar e estar presente em eventos universitários ou em outras instituições que estejam em sintonia com a sua cultura e marca. 

As dicas acima parecem simples, mas se executadas com tempo e dedicação já podem causar uma grande diferença na marca empregadora de uma empresa. O aprimoramento da reputação da organização ajuda a atrair grandes profissionais para atuarem nela e traz diversas vantagens para ambas as partes, já que as pessoas também sabem o que esperar quando escolhem dedicar seu tempo a um processo seletivo.

Compartilhar:

Autoria

Maísa Mattedi

Talent Acquisition na Codenation

Artigos relacionados

Imagem de capa O crescimento das HRTechs impulsiona a economia brasileira

Transformação Digital

24 Abril | 2024

O crescimento das HRTechs impulsiona a economia brasileira

HRTechs surgem para agilizar processos e oferecer variedade de benefícios, porém, desafios como imersão digital persistem. Investir em colaboradores traz diferenciais competitivos e reduz turnover, apontando para um futuro promissor no setor de benefícios corporativos no Brasil

Charles Schweitzer

2 min de leitura

Imagem de capa Blockchain e gestão pública: um match interessante

Transformação Digital

22 Abril | 2024

Blockchain e gestão pública: um match interessante

Você sabia que o uso de blockchain promove maior sustentabilidade e pode ajudar na redução do consumo de energia?

Matheus Laupman

5 min de leitura

Imagem de capa Desvendando o cérebro criativo

Gestão de pessoas

20 Abril | 2024

Desvendando o cérebro criativo

Neurociência e práticas de inovação caminham juntas para destravar o potencial criativo humano

Lilian Cruz e Andréa Dietrich

6 min de leitura