fb-embed

Marketing e vendas

3 min de leitura

De olho em consumidor vegano, N.ovo amplia linha de produtos

Spin-off da maior produtora de ovos do Brasil, foodtech quer saciar a crescente parcela da população que não come carne

Sandra Regina da Silva

16 de Agosto

Compartilhar:
Artigo De olho em consumidor vegano, N.ovo amplia linha de produtos

É fato que a agropecuária é uma das grandes fontes de poluição do planeta. O setor respondeu por 27% das emissões de gases de efeito estufa no Brasil em 2020, segundo o Observatório do Clima. Aliado à crescente popularidade de dietas vegetarianas e veganas, isso tem criado oportunidades para empresas oferecerem produtos mais saudáveis para consumidores e para o planeta.

Foi para surfar nessa onda que o Grupo Mantiqueira, a maior granja do país, lançou, em 2019, a N.ovo. Amanda Pinto, à época na área de marketing e inovação do grupo, percebeu que alimentos à base de plantas eram a solução que a empresa buscava para tentar reduzir um dos grandes problemas do planeta hoje, a cadeia de produção alimentícia.

A Mantiqueira decidiu então investir em um produto substituto para ovos, de olho nos consumidores com alergia, intolerância ou que desejam consumir menos proteína animal. Trata-se de um nicho nada desprezível: segundo o Ibope Inteligência, em uma pesquisa de 2018, 14% da população brasileira se declarou vegetariana, o que dava quase 30 milhões de pessoas.

O ovo que não é ovo

O primeiro produto desenvolvido foi o N.ovo Receitas, um pó substituto de ovos para ser usado como ingrediente no preparo de bolos, pães, panquecas e massas em geral. Hoje, há também o N.ovo Mexido em pó para omelete e ovos mexidos, uma linha de molho tipo maionese sem ovo, uma de substituto de frangos à base de ervilha e broto de bambu e uma nova, substituto de suíno à base de proteínas de trigo, ervilha e fibras de trigo

O objetivo é ter uma linha completa de alimentos 100% à base de vegetais. Para isso, todos os produtos são elaborados com tecnologias específicas para replicar sabor, textura, cheiro e aparência das comidas de origem animal. A ideia é oferecer “nutrição com inovação ao prato, a preços acessíveis, gerando impacto positivo na saúde do consumidor e no planeta”, diz Pinto, hoje CEO da N.ovo.

Paralelamente, a empresa tem se dedicado à busca por proteínas alternativas que estejam disponíveis no solo brasileiro. “Conduzimos grandes pesquisas junto a alguns dos principais polos tecnológicos do Brasil (como a Embrapa) e do mundo (como a Berkeley University).”

Spin-off da Mantiqueira

“Hoje, a foodtech é uma spin-off do grupo, e segue visando seu crescimento rápido. Em 2021, dobrou seu número de colaboradores e cresceu em torno de 60% em capacidade de produção, comparado ao ano anterior”, explica a executiva.

Além do aumento do portfólio, há planos de entrada em outros mercados. “O Brasil já é um dos principais exportadores de proteína animal e, por isso, tem tudo para ser um líder na exportação de proteína vegetal também”, afirma.

De acordo com ela, a expectativa de crescimento está calcada sobretudo pela preocupação cada vez mais intensa das pessoas sobre o consumo de carnes em relação a uma dieta mais saudável. “Esses adeptos das dietas à base de vegetais e mesmo os carnívoros que diversificam estão levando o mercado para a casa dos bilhões de dólares. Essa tendência está cada vez maior aqui no Brasil também”, diz Pinto, ao lembrar de uma pesquisa do Euromonitor que estima um crescimento de 70% do segmento nos próximos seis anos. “Somente no ano passado o mercado movimentou US$ 82,8 bilhões. As perspectivas são bastante otimistas.”

Barreiras

A diretora comercial da N.ovo, Maria Marzotto, lista os desafios a serem superados: 1. O tempo de maturação do mercado. 2. A cultura no consumo desses alimentos como substituto da carne, como algo normal e igualitário, no que diz respeito ao valor nutricional. 3. A adesão maior do setor supermercadista em oferecer esses produtos. 4. Incentivo fiscal para a cadeia vegetal, que tem um impacto dez vezes menor do que a cadeia animal.

Números da foodtech

  • 343% de crescimento em quilos vendidos em 2021, em comparação ao ano anterior.
  • 302% de crescimento em faturamento em 2021 sobre 2020.
  • 123%: salto de janeiro a julho de 2022 em relação ao mesmo período de 2021.

Alguns clientes de revenda: GPA, BIG, Angeloni, St. Marche, Casa Santa Luzia, Savegnago, Super Muffato, Supermercado Zona Sul, Zaffari, Guanabara, Supermarket, Super Verde Mar, Prezunic.

Compartilhar:

Autoria

Sandra Regina da Silva

Sandra Regina da Silva é colaboradora de HSM Management.

Artigos relacionados

Imagem de capa Transforme seu marketing com martech stack: o guia completo

Marketing Business Driven

30 Abril | 2024

Transforme seu marketing com martech stack: o guia completo

As inovações tecnológicas 4.0 já estão no cotidiano dos brasileiros, seja na melhor rota do aplicativo de mapas ou na série sugerida pelo streaming. No campo, já não são apenas uma realidade, mas também essenciais para o aumento da produtividade de forma sustentável.

Leticia Rosa

5 min de leitura

Imagem de capa O que os consumidores chineses buscam Assinante

Marketing e vendas

29 Dezembro | 2023

O que os consumidores chineses buscam

Para entender o mercado interno da China, players estrangeiros precisam entender o valor diferenciado que as marcas locais oferecem; o valor da Luckin Coffee não é igual ao da Starbucks

Edward Tse
Imagem de capa A preocupação em usar as palavras certasAssinante

Marketing e vendas

29 Dezembro | 2023

A preocupação em usar as palavras certas

Pense em uma marca de produto ou serviço, um processo, um programa, uma empresa. Ou mesmo em um problema. O modo como qualquer dessas coisas é nomeada importa tanto quanto os resultados que pode produzir. O “wording” mobiliza as pessoas.

Adriana Salles Gomes
Imagem de capa Vendas: uma ciência exata

Marketing e vendas

02 Junho | 2023

Vendas: uma ciência exata

O único objetivo em uma venda é convencer o consumidor que ele tem uma necessidade, que o produto e/ou serviço que você apresenta é a solução ideal e descreva brevemente como você pode ajudá-lo com este desafio

Patrícia Mendes

4 min de leitura