fb-embed

5 min de leitura

Como a análise de dados transforma a gestão de talentos

Mônica Hauck

17 de Dezembro

Compartilhar:
Artigo Como a análise de dados transforma a gestão de talentos

A indústria 4.0 revolucionou e alterou a realidade das organizações. A descentralização das tomadas de decisões e a interação entre o mundo on-line e off-line tornou-se rotina para os colaboradores e os gestores. Atualmente, quase todos os processos contam com o auxílio de uma plataforma digital, coletando, armazenando e monitorando dados.

O setor de Recursos Humanos também foi beneficiado por essa transformação, processos foram otimizados no recrutamento e seleção, no desenvolvimento e no acompanhamento dos colaboradores. Por meio de metodologias e softwares, o RH tornou-se mais objetivo, pautando suas decisões em dados.

No RH tradicional, o processo de contratação tinha etapas determinadas pelas percepções dos gestores. Mesmo após a aplicação de dinâmicas e testes, o parecer subjetivo — no momento da entrevista — é ativo na tomada de decisão. Esse cenário criou uma realidade na qual 9 em cada 10 profissionais contratados pela competência técnica são demitidos por aspectos comportamentais, segundo a Page Personnel.

Depois de diminuir em até 50% a rotatividade das empresas, a Sólides percebeu — na prática — todo o potencial transformador do People Analytics, trazendo mais objetividade para as decisões do RH. 

O People Analytics na prática

Tradicionalmente, as informações sobre os candidatos e colaboradores são anotadas em fichas funcionais, o que gera acúmulo de papel e um esforço demasiado para encontrar uma informação quando necessário. A internet otimizou esse processo, possibilitando a criação de um banco de dados capaz de facilitar o acesso à informação.

Isso foi essencial, visto que o mundo digital proporcionou um aumento considerável no volume de dados. Atualmente, é possível receber fichas cadastrais on-line, sem a necessidade de deslocamento, o que expandiu o processo seletivo para mais pessoas.

Conseguir estruturar e analisar a imensidão desses dados de forma rápida e estratégica é um desafio solucionado pelo People Analytics. Essa metodologia tem o mesmo conceito do Big Data, identificando comportamentos, preferências, gaps de desenvolvimento e de competências a fim de garantir uma melhor gestão de talentos.

Com o auxílio da inteligência artificial, a coleta, o monitoramento e o armazenamento dos dados são facilitados e otimizados. É uma verdadeira revolução na maneira como as empresas tratam os Recursos Humanos, pois possibilita ao setor tomadas de decisões precisas e eficientes.

Análises proporcionadas pelo People Analytics

A coleta e triagem de dados facilita o trabalho de análise. Dessa forma, os profissionais de RH podem interpretar as informações de forma mais objetiva a fim de chegar a conclusões que envolvam não apenas o setor como todo o negócio.

Existem quatro tipos diferentes de análises proporcionadas:

1. Análise Descritiva

A pergunta fundamental para essa análise é “o que aconteceu?”. A resposta é baseada em aspectos históricos, comparando o passado com o momento atual.

2. Análise de Diagnóstico

Para esse tipo de apuramento a pergunta base é: ‘porque isto aconteceu”. Por meio dela é possível avaliar os motivos que geraram um erro ou identificar os componentes que levaram a um insucesso.

3. Análise Preditiva

O modelo mais utilizado para evitar situações de risco, a análise preditiva é pauta na questão “o que pode acontecer?”. É possível chegar a essa percepção por meio de um acompanhamento dos dados históricos de determinado cenário, analisando o padrão de repetição.

4. Análise Prescritiva

A pergunta fundamental aqui é: “o que pode acontecer se seguirmos este caminho?”, imaginando que a decisão seja de desligar parte da força de trabalho para a readequação de custos, essa análise levanta hipóteses sobre os impactos que a decisão poderá gerar em toda a estrutura.

O perfil comportamental como base

Essa capacidade analítica é essencial para a nova estruturação do RH, cada vez mais ativo e presente nas decisões gerenciais da organização. Como dito anteriormente, o comportamento é um aspecto fundamental para a maioria dos desligamentos dos colaboradores, mas além da rotatividade, outros fatores são impactados pelas soft skills.

Ao começar a realizar análise dos perfis comportamentais, as empresas podem traçar as competências essenciais para cada função dentro de sua estrutura. Assim, os Recursos Humanos estabelecem um processo seletivo mais eficiente, considerando não apenas os aspectos técnicos, como as competências socioemocionais.

Os perfis serão atributos inseridos na análise proporcionada pelo People Analytics. Por meio disso, será possível enxergar quais competências são comuns aos profissionais que têm melhor performance em determinados setores e, a partir dessas informações, realizar uma job description mais precisa.

Por meio de uma análise criteriosa é possível cruzar informações e tomar decisões mais efetivas sobre contratações, treinamentos, desenvolvimento e, até mesmo, desligamento. Além das habilidades emocionais, os perfis mostram tendência de comportamento ajudando na elaboração de feedbacks, treinamentos, plano de desenvolvimento individual etc.

Nosso papel na gestão de talentos

Atuar sem o suporte dos dados é como “andar com os olhos vendados”, a incerteza e a insegurança acompanham durante toda a trajetória. No caso de uma organização, sem o auxílio de plataformas que ofereçam informações cruciais para os momentos decisivos, há um grande risco de prejuízo e gastos elevados.

Unificando o People Analytics, a metodologia DISC e o Perfil Comportamental, a Sólides elaborou uma plataforma de gestão de talentos completa. Por meio dela é possível cruzar todas as informações sobre o desempenho dos colaboradores dentro da organização, analisar o histórico do profissional e tomar decisões efetivas para o negócio.

Essa análise começa antes mesmo da contratação, ainda durante o processo de recrutamento e seleção mostrando a compatibilidade de determinado candidato à vaga que está concorrendo. Torna-se possível, assim, a redução da taxa de turnover — um dos principais causadores de gastos na empresa.

Dessa forma, o RH deixa um papel operacional e assume uma função estratégica essencial. Suas decisões impactam não apenas a rotatividade, mas como a produtividade global da empresa, proporcionando medidas que qualificam o clima organizacional e aumentam o engajamento.

Os dados revolucionaram o gerenciamento de talentos dentro da organização, os profissionais precisam contar com ferramentas que tornam toda essa análise mais fácil e compreensível. 

O Sólides Gestão é uma ferramenta que traduz toda a complexidade de dados para os analistas do RH proporcionando uma visão ampla de toda a empresa. A subjetividade sai da rotina dos Recursos Humanos, tornando possível mensurar todo o impacto do setor na empresa.

Compartilhar:

Autoria

Mônica Hauck

Founder e CEO da Sólides

Artigos relacionados

Imagem de capa É possível manter diferentes gerações em sintonia no ambiente corporativo

Gestão de pessoas

25 Junho | 2024

É possível manter diferentes gerações em sintonia no ambiente corporativo

Gerir eficazmente essas diferenças é crucial para evitar conflitos e fomentar um ambiente de trabalho dinâmico e inovador. Aproveitar as forças únicas de cada geração é a chave para o sucesso e sustentabilidade no mercado competitivo. Sua equipe está explorando todo esse potencial?

Juliana Dorigo

4 min de leitura

Imagem de capa Um olhar sobre o futuro  da juventude brasileira é  um olhar sobre propósito

Diversidade

25 Junho | 2024

Um olhar sobre o futuro da juventude brasileira é um olhar sobre propósito

Afinal, em qual lugar você está na fila do Fim do Mundo?

Gustavo Rosa

2 min de leitura

Imagem de capa O Papel da inovação na construção de um RH estratégico

Inovação

24 Junho | 2024

O Papel da inovação na construção de um RH estratégico

Líderes de RH enfrentam o desafio de se reinventar para manter relevância e conexão estratégica em um cenário de rápidas mudanças tecnológicas e de mercado. Já pensou que a inovação em cultura organizacional e tecnologia emerge como aliada essencial?

Luciana Leão

4 min de leitura

Imagem de capa Inovação não é sobre criar castelos no ar. É sobre renovar padrões de desempenho

Empreendedorismo

22 Junho | 2024

Inovação não é sobre criar castelos no ar. É sobre renovar padrões de desempenho

A inovação transforma a performance, otimizando processos e modernizando tecnologias. No entanto, durante crises, a inovação é essencial para a prosperidade pós-crise. A estratégia de inovação deve ser clara e contínua, alinhando-se à visão de longo prazo da empresa, como demonstrado pelos CVCs.

Felipe Novaes

5 min de leitura

Imagem de capa Por que o propósito é uma chave para a economia digital

Reportagem

20 Junho | 2024

Por que o propósito é uma chave para a economia digital

O Dossiê 163 já está no ar! Este é o primeiro texto dele, feito pela Adriana Salles, em que discute complexidade, incertezas e velocidade nas empresas. Afinal, exigem que boas decisões sejam tomadas nas pontas – e levem em conta o futuro...

HSM Management

11 min de leitura