fb-embed

3 min de leitura

5 lições do esporte para os negócios

Atletas de alto rendimento, empreendedores e executivos de grandes empresas podem parecer muito diferentes à primeira vista. No entanto, o mundo dos esportes pode trazer lições valiosas para a vida profissional.

Rodrigo Guimarães Motta

05 de Outubro

Compartilhar:
Artigo 5 lições do esporte para os negócios

Uma pesquisa realizada por mim, em parceria com o ex-judoca Wagner Castropil, mostra um forte elo entre os aprendizados que o esporte proporciona e o sucesso profissional e pessoal de cada um.

A partir de entrevistas feitas com 125 executivos em posições de liderança em suas organizações e que tinham uma experiência esportiva pregressa, propomos um modelo denominado “Esportismo”, composto de cinco competências do atleta vencedor e que podem ser aplicadas na vida de forma geral com grande êxito. 

Percebemos que os executivos entrevistados descreviam determinadas habilidades de forma frequente. Na perspectiva deles, nenhuma competência sozinha foi a razão do seu sucesso esportivo e, ao transpô-la para sua vida profissional, foi de forma isolada a chave de sua trajetória profissional. Ou seja, elas são interdependentes e relacionadas. 

A seguir, confira quais são essas 5 lições:

Atitude – Estabelece uma abordagem não-conformista para a resolução de problemas

A atitude é uma característica que busca tirar o indivíduo da sua zona de conforto em direção à solução de problemas. Tal característica se assemelha ao executivo que sai da inércia e toma a iniciativa, criando oportunidades de negócios e persistindo, independentemente dos obstáculos.

Visão – Constrói uma visão inspiradora do que pode atingir a partir dos seus esforços

Esportistas bem-sucedidos não só têm a atitude positiva e corajosa para enfrentar os desafios, como também sonham com metas ambiciosas. Um título mundial, uma medalha olímpica... Muitos campeões começaram sua trajetória sonhando com realizações como essas. 

Da mesma forma, o profissional precisa estabelecer metas de longo prazo para a sua empresa. Um ponto relevante mencionado nas entrevistas é "a necessidade de que a visão seja inspiradora o suficiente para que ele seja capaz de ignorar as condicionantes que podem fazê-lo se afastar de seu objetivo". 

Estratégia – Elabora um plano de ação que permita atingir a visão

Uma vez estabelecida a visão, é necessário que o esportista tenha a capacidade de estruturar e organizar um plano de ação para atingi-la, como a elaboração de uma planilha de treinamento e competições preparatórias, além do estudo e planejamento para derrotar seus oponentes. 

Assim como no esporte, a estratégia também é ponto-chave no sucesso profissional. O executivo que adquire essa capacidade durante sua prática esportiva já tem um diferencial que o destaca no mercado de trabalho. 

Execução – Executa o plano de ação proposto com rigor e método

A execução do plano de ação é "a hora da verdade" no esporte e também nos negócios. É quando o atleta coloca em prática tudo o que se propôs a fazer e conquista sua medalha, quando o empresário fecha aquele negócio que faz a diferença para o crescimento da sua empresa. Segundo os depoimentos obtidos, três fatores combinados permitem a excelência na execução: o perfeccionismo, a disciplina e o autocontrole. 

Trabalho em equipe – Cerca-se de pessoas qualificadas que o auxiliam na execução do plano de ação

A necessidade de trabalhar em equipe de forma eficiente é evidente em esportes coletivos, mas também é imprescindível nos esportes individuais. Para os atletas que buscam ter a melhor performance, é necessário cercar-se por técnicos, nutricionistas, psicólogos, além de parceiros de treino. Uma vez reunida uma equipe competente, cabe ao líder acompanhar e motivar o time rumo ao atingimento dos seus objetivos. Por último, vale destacar que para a formação de uma equipe bem-sucedida, há que se investir tempo em sua formação e aprimoramento.

Compartilhar:

Autoria

Rodrigo Guimarães Motta

Formado em Administração Pública, possui pós-graduação em Filosofia e Sociologia, é mestre e doutorando em Administração. Em seu histórico profissional, constam atuações de liderança em empresas de projeção mundial. Antes de se dedicar a consultoria, foi sócio-diretor da Sucos do bem, empresa que ajudou a construir e que hoje é um grande case de sucesso no mercado brasileiro, adquirida pela Ambev em 2016. Também foi country manager da Heineken no Brasil e diretor comercial da Nutrimental, entre outras posições ocupadas em algumas das mais bem-sucedidas empresas que atuam no mercado brasileiro.

Artigos relacionados

Imagem de capa O crescimento das HRTechs impulsiona a economia brasileira

Transformação Digital

24 Abril | 2024

O crescimento das HRTechs impulsiona a economia brasileira

HRTechs surgem para agilizar processos e oferecer variedade de benefícios, porém, desafios como imersão digital persistem. Investir em colaboradores traz diferenciais competitivos e reduz turnover, apontando para um futuro promissor no setor de benefícios corporativos no Brasil

Charles Schweitzer

2 min de leitura

Imagem de capa Blockchain e gestão pública: um match interessante

Transformação Digital

22 Abril | 2024

Blockchain e gestão pública: um match interessante

Você sabia que o uso de blockchain promove maior sustentabilidade e pode ajudar na redução do consumo de energia?

Matheus Laupman

5 min de leitura

Imagem de capa Desvendando o cérebro criativo

Gestão de pessoas

20 Abril | 2024

Desvendando o cérebro criativo

Neurociência e práticas de inovação caminham juntas para destravar o potencial criativo humano

Lilian Cruz e Andréa Dietrich

6 min de leitura