Menu

Em 2016, o número de robôs da empresa aumentou 50% e a quantidade de funcionários cresceu na mesma proporção, segundo o site Singularity Hub

“Graças a mais robôs em seus centros de atendimento, a Amazon tem sido capaz de reduzir os custos de envio e passar essas economias para os clientes. O transporte mais barato fez com que mais pessoas usassem a Amazon, e a empresa contratou mais trabalhadores para atender a essa demanda crescente.”

Essa é a informação que o site Singularity Hub compartilha recentemente. Segundo o texto, desde que adquiriu a empresa de robótica Kiva Systems, em Boston, em março de 2012, a Amazon tem aumentado seu uso de robôs. Em 2016, a empresa aumentou sua força de trabalho de robôs em 50%, de 30 mil para 45 mil. E, em vez de demitir como seria esperado, aumentou o emprego humano também em cerca de 50% no mesmo período de tempo.

Na verdade, seu relatório de resultados do quarto trimestre de 2016 diz que planeja criar mais de 100.000 novos empregos em tempo integral e com benefícios completos nos EUA nos próximos 18 meses. Novos empregos serão baseados em todos os EUA e incluirão vários tipos de experiência, educação e níveis de habilidade.

Por que mais robôs significam mais empregos no caso da Amazon? A explicação oferecida pelo Singularity Hub é seguinte: “tarefas envolvendo habilidades motoras finas, julgamento ou imprevisibilidade são tratadas por pessoas”. São seres de carne e osso que preenchem as prateleiras dos armazéns com itens que saem de caminhões de entrega – e vice-versa (são pessoas que distribuem os itens nos caminhões para otimizar espaço). Um robô poderia fazer isso, exceto que, para maximizar o espaço, os funcionários tomam decisões de melhor encaixe.

O que ocorre é que os robôs, por sua vez, só conseguem operar em um ambiente controlado, realizando tarefas regulares e previsíveis. E, conforme o Singularity Hub, na Amazon “eles assumiram o trabalho pesado, incluindo a movimentação de paletes entre prateleiras – uma boa notícia para os trabalhadores dos armazéns -, bem como o transporte de mercadorias de uma extremidade à outra de um depósito”.

Um relatório recente divulgado pelo McKinsey Global Institute estimou que 49% das atividades de trabalho poderiam ser totalmente automatizadas – o que equivale a 1,1 bilhão de trabalhadores no mundo. E esse dado é realmente assustador.

Porém é animador o fato de robôs fazerem trabalhos brutos e tediosos que nenhum ser humano deveria ter de fazer. Na Amazon, robôs carregam peso, não a seleção ou a embalagem. Também anima – muito – o fato de essa maior produtividade fazer os negócios crescerem leva à criação de empregos humanos que, de outra maneira, não seriam criados.

Hoje o equilíbrio entre o robô e o homem da Amazon está em favor dos funcionários, conclui o Singularity Hub, embora isso possa não durar para sempre. A dúvida é quanto ao que acontecerá quando (ou se?) aumentar a inteligência dos robôs.

Confiram o centro de distribuição da Amazon e seus robozinhos:

Crédito da foto: YouTube (centro de distribuição robotizado da Amazon