Menu

Os melhores empregadores delegam a seus principais executivos tarefas de recursos humanos que, a rigor, definem o sucesso ou as adversidades de cada empresa

 “Toda nossa diretoria executiva é extremamente ativa no que diz respeito a capacitação, aprendizagem e desenvolvimento”. É assim que Priscila Giabardo, talent manager da multinacional DHL Express, resume a importância de ter os principais líderes da empresa engajados em Recursos Humanos. “Através da nossa plataforma global de capacitação, a alta gestão global atua ativamente sendo formadores de toda diretoria, que por sua vez atua na formação dos gestores, e assim por diante”, detalha.

André Braga, diretor de Pessoas, Organização e Cultura da Gas Natural Fenosa, explica que sua empresa de energia possui um modelo de liderança que descreve as competências mais importantes para cada nível profissional. “Com isso, independente da sua função na companhia, você saberá quais comportamentos deve desenvolver para focar na sua próxima etapa de carreira”, diz. “Temos um Plano de Desenvolvimento Individual com cada colaborador, e fazemos seguimento do desenvolvimento destas competências para manter a todos em evolução e alinhados com o modelo do Grupo”, complementa o diretor.

“Nossos líderes são treinados com foco em desenvolver e aprimorar uma liderança humanizada, por meio de programas estruturados”, afirma Kelen Reis, diretora de Recursos Humanos da Baxter Brasil, multinacional da área hospitalar. A companhia implementou um conceito denominado ACE (Alinhamento, Chech in e Execução), onde mensalmente líderes e funcionários sentam para uma conversa denominada Check in. “Nestes encontros, que podem durar 10 minutos, 30 minutos ou até uma hora, verifica-se ‘o que está indo bem’ e ‘o que não está indo bem’, em termos de desempenho, performance e desenvolvimento profissional”, diz a diretora.

Já a Atento, líder em serviços de terceirização de contact centers na América Latina, conta com iniciativas específicas voltadas aos líderes, como é o caso do treinamento realizado por meio da Universidade de Liderança: Programa Top Managers. “Temos também as Oficinas de Aprendizagem, voltadas a executivos de todos os níveis, com a missão de promover a aprendizagem organizacional por meio de um modelo diversificado que desenvolve pessoas para o alcance de novos conhecimentos sobre as dinâmicas e demandas da companhia”, declara João Mancio, diretor de Remuneração e Desenvolvimento Organizacional da empresa.

Foto: Kelen Reis, diretora de Recursos Humanos da Baxter Brasil